Música Lenine mostra músicas do novo álbum em show no Teatro Guararapes Disco Em Trânsito foi gravado ao vivo e pensado especialmente para os palcos

Por: Breno Pessoa

Publicado em: 27/07/2018 17:50 Atualizado em: 27/07/2018 17:52

Foto: Flora Pimentel/Divulgação
Foto: Flora Pimentel/Divulgação

"Quando subo no palco, eu adolesço", diz Lenine, 59, que apresenta pela primeira vez no estado o novo trabalho, Em trânsito, sétimo álbum de inéditas, lançado no início de junho. As supostas propriedades rejuvenescedoras que as performances ao vivo provocam no músico poderão ser conferidas nesta sexta-feira (27), a partir das 21h, no Teatro Guararapes (Centro de Convenções de Pernambuco, Salgadinho, Olinda). Os ingressos custam entre R$ 52 (meia, balcão) e R$ 164 (inteira, plateia especial).

Apesar dos efeitos positivos que os palcos provocam em Lenine, não é exatamente um sentimento de jovialidade o que ele busca ao preparar algo inédito para mostrar ao público. "Queria fazer um projeto novo", conta, observando que, no entanto, não sabia por onde começar. "Eu sabia o que não queria fazer, que era entrar no estúdio e ficar seis meses para fazer um disco", recorda, a respeito da concepção de Em trânsito.

O trabalho mais recente de Lenine foi The bridge: Lenine & Martin Fondse live at Bimhuis (2016), em que, ao lado do maestro holandês, fez releituras de sucessos da carreira. Já o último CD com inéditas foi Carbono, lançado em 2015 e indicado ao Grammy Latino.

Diferentemente de outros discos, este foi pensado primeiro como show, só em seguida transposto para o formato de álbum. A ideia de subverter a lógica veio do filho, Bruno Giorgi, que chamou a atenção para o fato de Lenine não ser propriamente um grande vendedor de discos, mas, sim, de viver do palco. “Fazer disco pra quê? Não existem nem loja para vender”, brinca o compositor, que, sim, lançou CD no formato tradicional, com o registro ao vivo.

Aliás, o álbum, disponibilizado nas versões física digital, integra uma espécie de narrativa mais ampla, um projeto transmídia que inclui ainda o vinil e o registro documental, disponível a partir de hoje nas plataformas de streaming Now, Oi Play e Vivo Play, e, em breve, lançado no formato DVD. “Esse show é quase que um romance que fiz para ser ouvido na sequência”, afirma Lenine, que promete também gravar versões de estúdio das faixas ao vivo, a serem lançadas primeiro em vídeos e, depois, reunidas em um álbum, que deve marcar o encerramento da atual turnê.

A inversão no desenvolvimento do álbum impactou na sonoridade. Deixando o violão de lado, Lenine procurou apresentar aos integrantes da sua banda as novas composições da maneira mais natural possível, inclusive sem utilizar o violão. O resultado é um disco mais colaborativo, com participação mais ativa de Jr. Tostoi (guitarra), Guila (baixo), Pantico Rocha (bateria) e Bruno Giorgi (guitarra), e também melhor aproveitamento o músico como intérprete. “Queria sair do conforto. Eu sou um cara instigado”, afirma.

A feitura do novo álbum também está atrelada a outros aspectos, diz Lenine, que relaciona a própria inquietação ao momento político do Brasil: “É uma distopia”, classifica. “Tem a ver com a urgência do agora, não olhando para trás ou para frente”, afirma. E ressalta: “Todos os temas tiveram uma ligação com o tempo de agora, mesmo em canções como Bicho saudade, se fala de um desejo de querer mudança”, diz sobre o subtexto de uma das faixas. 

Mobilidade - No dia do show, dia 27, os usuários da plataforma 99 terão desconto de até R em duas corridas: uma para ir e outra para voltar do teatro. Os descontos estarão disponíveis no app entre as 20h e a 0h.

Serviço
Lenine: Em trânsito
Quando: Sexta-feira, às 21h
Onde: Teatro Guararapes (Centro de Convenções de Pernambuco)
Ingressos: Plateia especial – R$ 164 (inteira) e R$ 82 (meia); plateia – R$ 144 (inteira) e R$ 72 (meia); balcão – R$ 104 (inteira) e R$ 52 (meia).
Informações: (81) 3182-8020


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.