Cinema Dois filmes vão representar o Brasil no Festival Internacional de Veneza Da diretora Flávia Castro, Deslembro está na mostra paralela Horizontes, e Humberto Mauro, de André Di Mauro, na Veneza Clássicos

Por: Estado de Minas

Publicado em: 25/07/2018 17:01 Atualizado em:

 O filme First Man (Universal), dirigido por Damien Chazelle, abrirá o Festival de Veneza, no dia 29 de agosto. Foto: Universal
O filme First Man (Universal), dirigido por Damien Chazelle, abrirá o Festival de Veneza, no dia 29 de agosto. Foto: Universal


Deslembro, de Flávia Castro, representa o Brasil no Festival Internacional de Veneza, que ocorre de 28 de agosto a 8 de setembro na cidade italiana. A lista com os finalistas foi apresentada pela Bienal de Veneza, nesta quarta-feira (25).

O filme concorre na mostra paralela Horizontes, que dá especial atenção a realizadores iniciantes, que ainda não estejam totalmente estabelecidos. O documentário Humberto Mauro, de André Di Mauro, será apresentado na Veneza Clássicos - Documentários.

Os filmes brasileiros não foram selecionados para a mostra principal, a Veneza 75, na qual concorrem 20 longas-metragens. O filme First Man (Universal), dirigido por Damien Chazelle, abrirá o Festival de Veneza, no dia 29 de agosto. Ryan Gosling interpreta o atronauta Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na Lua. O remake de A Star Is Born (Warner Bros), dirigido e estrelado por Bradley Cooper ao lado de Lady Gaga, também estreia em Veneza. 

HORIZONTE
Sulla Mia Pelle (Itália), de Alessio Cremonini 
Manta Ray (Tailândia, França, China), de Phuttiphong Aroonpheng 
Soni (Índia), de Ivan Ayr (India)
The River  (Cazaquistão, Polônia, Noruega), de Emir Baigazin
La Noche de 12 Anos (Espanha, Argentina, França), de  Alvaro Brechner
Deslembro (Brasil, França e Qatar), de Flavia Castro 
The Announcement (Turquia e Bulgária), de Mahmut Fazil Coskun 
Un Giorno All’Improvviso (Itália), de Ciro D’Emilio 
Charlie Says (Estados Unidos), Mary Harron 
Amanda (França), de Mikhael Hers 
The Day I Lost My Shadow (Síria, Líbano, França, Qatar), de Soudade Kaadan 
L’Enkas (França), de Sarah Marx 
The Man Who Surprised Everyone (Rússia, Estonia e França), de Evgeniy Tsiganov, Natalya Kudryashowa 
Through The Holes (Indonésia e Austrália), de Garin Nugroho 
As I Lay Dying (Irã), de Mostafa Sayyari (Iran)
La Profezia Dell’armadillo (Itália), de Emanuele Scaringi 
Stripped (Israel e Alemanha), de Yaron Shani
Jinpa, de Pema Tseden (China)
Tel Aviv on Fire (Luxemburgo, França, Israel e Bélgica), de Same Zoabi  



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.