Audiovisual Edital do Funcultura 2017/2018 tem maioria de projetos comandada por mulheres Realizadoras representam 62% do total de aprovados desta edição. No ano passado, a marca foi de 46%

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/07/2018 19:30 Atualizado em: 13/07/2018 19:29

A atriz e cineasta Dandara de Morais está à frente do curta Às vezes que não estou lá. Foto: Carol de Andrade/Divulgação
A atriz e cineasta Dandara de Morais está à frente do curta Às vezes que não estou lá. Foto: Carol de Andrade/Divulgação

Se o meio audiovisual segue deficitário quanto à equidade de gênero, ao menos no 11º Edital do Funcultura Audiovisual a desigualdade histórica foi amenizada. Ao todo, 62% dos projetos de obras audiovisuais selecionadas têm diretoras ou roteiristas mulheres. Outra marca importante em termos de inclusão diz respeito ao fato de 47% dessa produção contar com diretores ou roteiristas negros ou indígenas. No total, foram aprovados 121 projetos, entre filmes, ações para difusão cultural, pesquisa, preservação, formação, cineclubismo e produtos televisivos, além de games, novidade deste ano.

O aporte a ser distribuído entre os aprovados é de é de R$ 25,44 milhões, sendo R$ 10,44 mi pelo Governo do Estado e R$ 15 mi a partir da Ancine, através do Fundo Setorial do Audiovisual. O número de aprovados, por segmento, é: 18 (longa-metragem), 24 (curta-metragem), 15 (difusão), 14 (Revelando os Pernambucos), 21 (produtos para TV), 13 (desenvolvimento do cineclubismo), 10 (formação), 2 (pesquisa), 1 (Preservação), 3 (Games).

Esta edição teve 458 inscrições e, após a habilitação da fase documental, 390 propostas foram analisadas pelas comissões técnicas e temáticas. A exemplo do edital nacional da Ancine, o Funcultura 2017/2018 incorporou a categoria games, com o intuito de estimular a produção do segmento no estado, para projetos que apresentem inovações tecnológicas, artísticas e que abordem questões sociais e culturais da atualidade.

Confira a relação completa aqui

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.