Festival Coquetel Molotov é inserido em projeto global que estimula a igualdade de gênero em festivais Festival pernambucano foi incluído no Keychange, iniciativa internacional que visa encorajar as mulheres a transformar o futuro da música

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 27/06/2018 11:22 Atualizado em:

 O No Ar é o primeiro festival latino-americano envolvido no Keychange. Foto: Beto Figueirôa/Divulgação
O No Ar é o primeiro festival latino-americano envolvido no Keychange. Foto: Beto Figueirôa/Divulgação


Os produtores Ana Garcia e Jarmerson de Lima anunciaram que o Festival No Ar Coquetel Molotov foi incluído no Keychange, iniciativa internacional que visa encorajar as mulheres a transformar o futuro da música e dos festivais, através do equilíbrio de gênero em sua programação, enfrentando a desigualdade na indústria da música. 

Com a atuação engajada nas últimas edições, a promoção de projetos e ações que estimulam o combate ao assédio feminino e a empatia com as mulheres, o No Ar Coquetel Molotov foi o primeiro festival latino-americano a ser inserido no Keychange. Entre os festivais que fazem parte da iniciativa estão o Bestival, Reeperbahn Festival, Iceland Airwaves, Tallinn Music Week, Glasgow Jazz Festival e Liverpool Sound City. A ideia já estimulou mais de 100 festivais em todo o mundo a se comprometer com o equilíbrio de gênero até 2022.  

O objetivo do grupo Keychange é acelerar a mudança de antigos padrões, criando uma indústria da música mais inclusiva para as gerações por meio da participação equânime das mulheres em eventos. A iniciativa é apoiada por um fundo de inovação e testar novos projetos em vários países. 

A edição de 2018 está marcada para o dia 17 de novembro, no Caxangá Golf Club. Uma pré-venda promocional de ingressos foi aberta no Sympla por R$ 35. Neste ano, o evento está celebrando 15 anos de realização e são esperadas atrações locais, nacionais e internacionais com uma programação que reúne música, cinema, moda e um encontro de Vogue - manifestação de dança norte-americana.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.