Música Gaby Amarantos celebra representatividade negra e indígena em novo clipe Sou eu tem participação da ex-BBB Gleici e de Veluma, uma das primeiras modelos negras do Brasil

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 28/05/2018 14:08 Atualizado em: 28/05/2018 16:20

Gleici Damasceno, Jessica Ellen, Jonathan Azevedo e Rafaela Silva são algumas das participações especiais. Foto: Gaby Amarantos/Divulgação
Gleici Damasceno, Jessica Ellen, Jonathan Azevedo e Rafaela Silva são algumas das participações especiais. Foto: Gaby Amarantos/Divulgação

"Afro-pop-amazônico" é o termo que Gaby Amarantos usa para definir a estética do clipe Sou+Eu, lançado nesta segunda-feira (28). De fato, a produção dirigida por Marcelo Sebá é uma explosão de brasilidade, cores e diversidade - características que a paraense sempre carregou enquanto artista. "Nos preocupamos em passar várias mensagens importantes de forma sútil, para que possamos abranger discussões tão importantes, como representatividade racial e feminismo", explica Gaby em entrevista ao Viver.

As questões feministas aparecem na letra da canção: "Prefiro me esfregar com um homem de verdade / Do que ficar refém da sua vaidade / Sempre fui independente". A representatividade está no elenco, totalmente composto por pessoas negras e indígenas. "Não por pessoas se 'passando' de índio, mas sim pessoas que são de etnias indígenas", ressalta a cantora.

Quem protagoniza o vídeo ao lado da cantora como par romântico é ator carioca Jonathan Azevedo, que trabalhou na novela A Força do Querer para dar vida ao traficante Sabiá. "Uma vez li uma entrevista dele falando que sempre sonhou em ser galã de uma novela. Aquilo me tocou muito. Chamei ele para ser o galã do meu clipe".

Outras participações especiais notáveis também marcam presença: a vencedora do Big brother Brasil 18 Gleici Damasceno e Rafaela Silva, judoca e campeã olímpica. A paulista Veluma, uma das primeiras modelos negras do Brasil, aparece vestida como Nossa Senhora de Nazaré. De acordo com Gaby, a intenção foi trazer pessoas que carregassem histórias de superação. "Todo mundo que está no clipe possui uma história de luta. A Gleici, por exemplo, é uma menina do Acre que sempre esteve envolvida em projetos sociais e usou da sua oportunidade na casa do BBB para trazer discussões legais e positivas". 

Todo esse sincretismo visual, que articula estéticas pop com o estilo fashion exagerado do tecnobrega, vai de encontro com a identidade sonora da música. Sou Eu, produzida pela cantora ao lado de Dudu Marote, é um tecnobrega autêntico que pretende ser ainda mais explorado no álbum de estúdio que Amarantos está preparando. "Vou agregar esse brega que está em alta. Quero fazer isso uma forma bem pop, sempre dialogando com assuntos importantes de um jeito leve, divertido e bem-humorado".

Assista ao clipe:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.