Entrevista Matheus e Kauan criam suspense para lançamento de inéditas e divulgação do quinto DVD Sertanejos reforçam caminhos criados por Anitta no lançamento do clipe Ao vivo e a cores com participação da cantora

Por: Marina Simões - Diario de Pernambuco

Publicado em: 15/05/2018 18:45 Atualizado em:

Cantora participou do clipe e da gravação do DVD Intensamente hoje. Foto: Cadu Fernandes/Divulgação
Cantora participou do clipe e da gravação do DVD Intensamente hoje. Foto: Cadu Fernandes/Divulgação


A fórmula para o sucesso não foi descoberta, mas parece que há um caminho com ferramentas que impulsionam o resultado positivo, difundido por Anitta, que está dando certo. Ela trouxe novos elementos para o mercado com o projeto Xeque Mate – no ano passado criou uma série de ações online e offline para divulgação dos clipes Will I See You, Is that for me, Downtown e Vai malandra – e tem inspirado outros artistas, como é o caso da dupla sertaneja Matheus e Kauan. Eles orquestraram, junto com a gravadora Universal Music, o lançamento do clipe Ao Vivo e a cores, gravado em um karaokê no bairro da Liberdade em São Paulo. 

Foram 500 mil visualizações nas cinco horas primeiras horas no YouTube, além de acessos nas plataformas de streaming como Spotify e Deezer. Nesta terça-feira (15), o vídeo soma 5,4 milhões de acessos no YouTube e chegou na sexta posição na lista das 50 mais tocadas do Brasil no Spotify. A letra da música é de Kauan, Lucas Santos e Rafael Torres, e fala sobre um casal que se relaciona virtualmente. "As pessoas estavam esperando muito por essa música. Deixamos para o final e gerou uma expectativa grande. É a cereja do bolo”, explicou Matheus Aleixo em entrevista ao Viver por telefone. "A letra é popular e fala sobre uma pessoa que vive longe da outra, conectadas pelo celular. Todo mundo já passou por algo assim nos dias de hoje. Tenho certeza que vão se identificar", completa Matheus.

A canção faz parte do DVD Intensamente hoje, o quinto DVD da dupla, que só chegará às lojas no dia 25 de maio. Composto por 21 faixas, a produção foi registrada em dezembro do ano passado no Citibank Hall, em São Paulo. Nesse projeto, os cantores optaram por não entregar o material todo nas mãos dos fãs. Esperaram passar o carnaval para lançar as inéditas aos poucos, dividas em quatro EPs com quatro ou cinco faixas cada. Os clipes também foram disponibilizados gradativamente no YouTube, e além do registro audiovisual do show, ganharam abertura personalizada e making of especial. "Foi uma ideia da gravadora, poder dividir os lançamentos para criar a expectativa. Isso deixou as pessoas mais ligadas nos lançamentos e deu certo também”, celebra Matheus. A música com Anitta ficou para o ‘gran finale’. A divulgação foi maciça e incluiu coletiva de imprensa com a presença de Anitta, encontro com os fãs em São Paulo, e muito compartilhamento e impulsionamento na internet.

Os irmãos explicaram que costumam evitar parcerias com artistas do sertanejo e preferem ampliar o alcance em colaborações com cantores de outros gêneros. Entre os destaques estão Fica, de Anavitória (abril de 2017), Suave, tema do VillaMix, de Alok (julho de 2017), e Deixa Ela Beijar (novembro de 2017), parceria com Kevinho. "Querendo ou não conseguimos atingir públicos diferentes. Buscamos nos unir a outros universos e é importante ter essa pluralidade de públicos que curtam outros sons e possam nos conhecer".

Assista Ao vivo e a cores part. Anitta:



O DVD Intensamente hoje é o quinto DVD da dupla e só chegará às lojas no dia 25 de maio. Foto: Universal Music/Divulgação
O DVD Intensamente hoje é o quinto DVD da dupla e só chegará às lojas no dia 25 de maio. Foto: Universal Music/Divulgação
 ENTREVISTA // MATHEUS ALEIXO

Como foi o processo para a escolha do novo repertório?
Graças a Deus sempre tivemos muita sorte e tudo é resultado de muito trabalho. A gente que compõe as músicas, o que não é algo fácil, mas conseguimos passar verdade. Os trabalhos têm a cara do Mathes e Kauan e tudo o que a gente faz vem naturalmente, com músicas que falam do cotidiano das pessoas e que de alguma forma tentamos evoluir também. Tem essa evolução presente nas letras que estão mais maduras e diversificadas. A cabeça da gente tem que estar em sinergia com tudo, se não as coisas não vão acontecer. E de alguma forma atrapalharia o resultado. E está tudo lindo.

Há pressão na hora de compor?
Não costumo fazer música em grande escala. Já tenho quase 500 músicas, mas componho desde os 13 anos. Não me preocupo em escrever, por isso não sinto essa pressão. Com a correria dos shows e viagens, é óbvio que pesa, fica cansativo. Somos nós que fazemos as produções e amo o processo de criação da obra, até ver as pessoas cantando. Isso não tem preço. Sempre que tem um projeto eu me dedico ainda mais. Antes fazia música para outros artistas e hoje priorizo nosso repertório por causa do tempo.

O objetivo é superar as marcas já alcançadas?
A gente não costuma se cobrar tanto. A música tem que acontecer naturalmente, se não vira uma guerra pelo sucesso e não é legal. Tento fazer algo que vai me deixar feliz. Uma música não tem que superar a outra. Cada uma conta sua história e uma pessoa se identifica.

Durante os festejos juninos, artistas do forró tradicional criticam que os sertanejos ocupam grande espaço nas grades de programação. O que acham dessa disputa?
O nosso São João vai ser muito trabalho. A gente está nas maiores festas do Nordeste. Essa é uma questão muito mais territorial de dizer ‘Aqui não pode tocar porque é festa junina’. A música é universal e não tem para que criar barreiras. A gente mora em São Paulo e vemos vários artistas de todo o Brasil e do Nordeste tocando e o público se divertindo. É uma festa tradicional e antiga, o foco foi e vai continuar sendo o forró. Acredito que os organizadores das festas têm que mesclar e dar espaço para algo novo e que as pessoas vão gostar de ouvir.

O sertanejo é o ritmo mais tocado no Brasil e lidera os rankings. Porque dá tão certo?
Pela união, né? Todos os aristas são muito unidos, cada um faz seu trabalho. Mas sempre tem  alguma coisa por fora. A disputa fica entre os empresários, a gente não gosta de entrar nesse meio, mas acontece como em todos os ritmos. Basicamente o meio artístico é unido, trocamos com outros escritórios, fazendo parcerias juntos. O gênero também ficou mais pop e isso agrega uma parcela de público que antes não gostava do sertanejo tradicional. É uma música simples, muito direta, fala o que se vive no dia a dia.

Confira as faixas do DVD Intensamente Hoje:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.