100 anos Rádio Clube A fé pelas ondas da PRA-8, a Rádio Clube Congresso Eucarístico Nacional de 1939 fez história também pela cobertura jornalística inédita

Por: Silvia Bessa

Publicado em: 14/05/2018 09:08 Atualizado em: 14/05/2018 09:27

Arquibancadas foram montadas no Parque 13 de Maio para o evento. Foto: Jornal Diario da Manhã/Reprodução
Arquibancadas foram montadas no Parque 13 de Maio para o evento. Foto: Jornal Diario da Manhã/Reprodução

Sessenta mil pessoas no Recife. Peregrinos, autoridades da Igreja Católica e leigos de toda a parte do Brasil se reúnem para o III Congresso Eucarístico Nacional, realizado entre 3 e 7 de setembro de 1939 na capital pernambucana. Arquibancadas foram erguidas em fileiras para acomodar os visitantes. Relatos dão conta de que chovia e ninguém arredava o pé para não perder a programação completa. “Aos clarins do Congresso Sagrado/ Pernambuco se ergueu varonil/ E o Recife se fez lado a lado Catedral onde reza o Brasil”, cantarolavam trechos do hino composto por Dom Aquino Corrêa. 

O Congresso Eucarístico foi “o episódio religioso de maior repercussão da história da radiofonia nordestina com a cobertura jornalística realizada pela Rádio Clube”, conta Renato Phaelante, pesquisador fonográfico e ex-coordenador da Fonoteca da Diretoria de Documentação da Fundação Joaquim Nabuco durante três décadas. Não era, diz, a primeira vez que movimentos religiosos recebiam atenção da equipe de jornalismo da mesma rádio, mas o Congresso virou um marco porque, a partir dele, abriu-se uma porta para outros eventos religiosos na mesma emissora. 

Considerado um momento onde cristãos professam a fé católica publicamente, dão testemunhos públicos e tratam a Eucaristia, o Congresso daquele ano teve tratamento e cuidado especiais da equipe da Clube, a PRA-8 pioneira, que havia sido fundada em 1919 e todo ano se empenhava em mostrar ineditismos. 

Josué Uchôa, que havia entrado para a rádio em 1934 após sair de um seminário, teve a função de fazer a transmissão do evento. Para ele, o tema era algo familiar. Com a habilidade para tratar de assuntos religiosos, fez sucesso e logo, segundo conta Phaelante. Uchôa se tornou referência e conquistou o posto de comandante de toda a programação religiosa da Rádio Clube. Ele passou 30 anos exercendo este trabalho e, na sua trajetória, assumiu responsabilidades importantes, como a bênção do papa Pio XII durante o Congresso Eucarístico Internacional, transmitidos para todo o Brasil por meio da sintonia da Rádio Vaticano com a Rádio Clube de Pernambuco. A emissora, mais uma vez, ganhava o destaque - assim como aconteceu com a fundação em 1919 e quando fez a primeira transmissão de uma partida de futebol (1931). 

Desde esta época, a Rádio Clube iniciou a tradição da Ave Maria, ouvida sempre às 18h. E vem do mesmo período a polêmica sobre os versos da “célebre Ave Maria”. O locutor Abílio de Castro deixou registros testemunhais garantindo que a Ave Maria da Rádio Clube surgiu durante o Congresso: “O cardeal D. Sebastião Leme veio presidir o Congresso Eucarístico e Oscar Pinto solicitou então aos intelectuais da terra que escrevessem uma Ave Maria que se transformaria na característica religiosa da Rádio Clube”. A oração teria sido lida pela primeira vez por Sebastião Stanislau em 8 de setembro de 1939. Há versões, no entanto, que asseguram ser de autoria do jornalista Carlos Rios, atuante nos anos 1920. 

Até hoje, a Ave Maria é interpretada pela voz do radialista Adelmo Cunha com versos que dizem assim: “Ave Maria, rainha pura e ditosa dos homens pecadores. Santa radiosa do céu. Hora doce e emocionante entre o dia que morre e a noite que surge (...)  Ave Maria”. 

Após 81 anos, Congresso Eucarístico será no Recife


A Arquidiocese de Olinda e Recife anunciou no final de abril, por decisão da 55ª Assembléia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que Recife voltará a sediar um Congresso Eucarístico Nacional. Foi uma notícia tomada com parecer unânime dos bispos do Regional Nordeste 2 e apoiada por bispos de todo o Brasil, a partir da candidatura do Recife. 

O Congresso só acontecerá em novembro de 2020, mas, a se tirar pela mobilização diocesana e antecipação dos preparativos, ver-se o impacto que foi o III Congresso Nacional de 1939, simpósio que deu inclusive origem à Igreja Católica do bairro do Espinheiro - batizada de Igreja do Coração Eucarístico de Jesus. A igreja, segundo define Dom Saburido, “é um memorial daquele congresso”. 

Em todos os países com representatividade católica se realizam Congressos Eucarísticos. O protocolo define que a Conferência Episcopal de cada um escolha, em sua assembleia geral, o local e o ano do encontro. Nele, se realiza uma semana de atividades para a vivências da Eucaristia, missas, procissões, simpósios teológicos e jornadas pastorais. Na próxima edição no Recife, há uma perspectiva de se fazer batizados, crismas e outras solenidades religiosas coletivas. Turistas do Brasil inteiro estarão presentes, assim como uma autoridade designada pelo papa Francisco. 

“Trabalharemos juntos para realizar um espiritualmente rico Congresso Eucarístico Nacional para o bem da Igreja de Olinda e Recife e das demais Igrejas do nosso Regional”, garantiu dom Fernando. Para o arcebispo de Olinda e Recife, “a aprovação unânime foi uma grande alegria, não somente para nossa arquidiocese, mas para todo o Regional NE 2”. O primeiro Congresso Eucarístico foi celebrado em Lille, na França, em 1881, por iniciativa de um grupo de fiéis e leigos, apoiados por São Pedro Julião Eymard. No Brasil, o primeiro se deu em Salvador, em 1933. 

Por certo, o Congresso de 2020 mobilizará uma cobertura jornalística grandiosa e valorizará ainda mais o grande feito da Rádio Clube, numa época em que não havia recursos tecnológicos comohoje e não se inovava na forma de se fazer jornalismo e se transmitir a notícia. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.