• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
TV Whindersson ajuda fã com paralisia cerebral e caso acaba na Justiça Apesar do youtuber ter pago pelo triciclo adaptado, André Nachtigall não recebeu o veículo

Por: Estado de Minas

Publicado em: 07/05/2018 08:23 Atualizado em:

Nachtigall afirma que Whindersson chegou a oferecer outro triciclo, que ele não aceitou. Foto: Instagram/Reprodução
Nachtigall afirma que Whindersson chegou a oferecer outro triciclo, que ele não aceitou. Foto: Instagram/Reprodução

Uma boa ação do youtuber Whindersson Nunes foi parar na Justiça. Em fevereiro do ano passado, Whindersson se comoveu com o comentário de um seguidor: o estudante gaúcho André Nachtigall, diagnosticado com paralisia cerebral, pedia ajuda para adquirir um triciclo adaptado para poder frequentar as aulas na faculdade.
 
"Onde é que tem esse troço moço? 'Nois' compra agora!", respondeu ele, na época. O comediante prometeu ajudar na compra do veículo e o fez. Whindersson transferiu o valor e a Honda, ao tomar conhecimento do caso, também doou o valor relacionado à moto — o triciclo é feito em cima de uma moto. Ao todo, foram doados cerca de R$ 25 mil. 

No entanto, o dono da empresa responsável não fabricou a peça. "Whindersson e a Honda pagaram a ele tudo direitinho e ele sumiu, não imaginava que fosse assim", lamenta o jovem, de 24 anos, ao UOL. Nachtigall levou o caso à Justiça e duas audiências já foram realizadas, mas até agora, não houve acordo. 

Segundo o estudante, o empresário que faria o veículo adaptado mora em Ananindeua, no Pará, e foi escolhido por ser considerado o único no país que faz a documentação para triciclo. Por sua vez, o proprietária da empresa responsável afirma: "Não somos bandidos, mas se deu a entender que temos a intenção de pegar o dinheiro e não entregar, isso é uma inverdade. Simplesmente, não tenho condições de devolver. Estamos atravessando por uma dificuldade, como qualquer microempresa que foi afetada pelo maldito governo". A empresa também diz não poder fixar um prazo para a entrega. 

Diagnosticado no nascimento com a doença, Nachtigall é morador da cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul, e estudante de engenharia da computação na Universidade Federal de Pelotas. Ele conta com a ajuda da mãe para realizar a locomoção diariamente, mas que, devido à sobrecarga e ao conflito de horários, decidiu buscar outras alternativas. No entanto, o jovem continua na mesma situação. Nachtigall afirma que Whindersson chegou a oferecer outro triciclo, que ele não aceitou. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.