• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Música Cantora pernambucana Isadora Melo lança sequências de videoclipes no YouTube Arranjo de novas canções foram trabalhados com Rafael Marque, com guitarra baiana como bandolim

Por: Emília Prado

Publicado em: 17/04/2018 13:05 Atualizado em: 17/04/2018 15:48

Em um dos galpões com ares de abandono do Recife Antigo, foram gravados os quatro clipes. Foto: Helder Tavares/Divulgação
Em um dos galpões com ares de abandono do Recife Antigo, foram gravados os quatro clipes. Foto: Helder Tavares/Divulgação

Como quem garimpa novas pedras, Isadora Melo busca novos sons e poesias. A cantora divide com o público suas pesquisas recentes em uma série de videoclipes que será lançada nesta quarta-feira. Réstia entrega uma prova das produções vindouras da pernambucana em quatro canções. O novo projeto tem como foco a plataforma do YouTube.

De cenário e melodias mais cruas, os vídeos trazem o conceito já definido por Isadora para o seu segundo disco solo, ainda sem data de lançamento. "Os arranjos foram trabalhados com Rafael Marques. Temos a guitarra baiana, afinada igual bandolim, e em cada música demos mais atenção à poesia, à letra. Este caráter cru do ao vivo é a linha que decidimos seguir depois de Vestuário (primeiro disco solo)". Além de Rafael, o projeto tem participação do violinista Bozó Sete Cordas e as composições passeiam por várias gerações.

A única não inédita é Valsa verde, de Capiba, que Isadora escutou em um show do pernambucano Zé Manoel e criou uma relação afetiva com a canção. “Até então eu só o conhecia como compositor de frevo e isso me mostrou como eu precisava pesquisar mais, e o projeto é sobre isso, sobre pesquisa e expansão do universo de compositores”, explica a cantora. Isadora ainda canta Mande um sinal, de Ronaldo Bastos e Cesar Mendes, Boomerang, de Juliano Holanda e PC Silva e Para os prédios, também de Juliano Holanda.

"Os vídeos se passam na mesma locação, então formam uma sequência. A novidade vai ficar por conta da interpretação e das letras", conta Isadora. Em um dos galpões com ares de abandono do Recife Antigo, foram gravados os quatro clipes. O formato escolhido, de disponibilizar um clipe por dia, da terça à sexta (20), é para não quebrar a continuidade que existe de uma canção para a outra, mas dando o espaço de um dia para que cada uma receba atenção individual. Outra particularidade da experiência visual é a gravação do áudio ter sido simultânea à do vídeo.

De uma catarse durante um show de Isabela Moraes, em Caruaru, Isadora achou renovação de forças para viver os tempos considerados difíceis no país. Com mais de 15 anos de carreira, Isabela cantava pela primeira vez com uma banda e Isadora sentiu que não deveria parar. “Foi revelador para mim. Sei que devo continuar porque quando crio e canto, alcanço coisas em mim que não acesso através de qualquer outro caminho”, revela a cantora, que enfrenta com otimismo a votação para anular a obrigatoriedade do DRT dos artistas, que acontecerá no Supremo Tribunal Federal dia 26 de abril.

"São os nossos direitos trabalhistas, precisamos deles como qualquer categoria. Sei que, quando eu quiser cantar, vai ter gente para ouvir, pagar. E quem faz arte não vai se desinteressar. O que vivemos é um retrocesso, mas me encontro cada vez mais forte como artista".

Confira Boomerang, o primeiro vídeo do projeto:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.