• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Música Vendas de LPs e CDs crescem no Recife em plena era do streaming Público abaixo dos 30 anos contribui para manter mercado vivo na capital pernambucana

Por: Anamaria Nascimento

Publicado em: 03/04/2018 12:01 Atualizado em:

Alexandre Amorim é um dos que prefere o disco físico a baixar uma música. Foto: Shilton Araujo/Esp.DP
Alexandre Amorim é um dos que prefere o disco físico a baixar uma música. Foto: Shilton Araujo/Esp.DP

O prazer de retirar a embalagem plástica que envolve a capa, acompanhar as letras das músicas no encarte, ler a ficha técnica e pegar um disco com as mãos são algumas das razões de frequentadores das lojas de CDs e LPs do Recife para continuar consumindo esses produtos na era da facilidade do download e do streaming. 

Para eles, a satisfação de comprar a mídia física é insubstituível. O comércio especializado da capital sentiu, no último ano, um aumento na procura, confirmando o levantamento da Associação da Indústria de Gravação da América (Recording Industry Association of America) que mostrou crescimento na venda de CDs e LPs em 2017. E não são apenas coroas nostálgicos que adquirem os discos. Segundo lojistas entrevistados pelo Diario, o público abaixo dos 30 anos é o principal grupo consumidor

De acordo com o relatório internacional, os compactos e longos venderam mais do que os downloads digitais pela primeira vez desde 2011. Considerando apenas os vinis, as vendas subiram 10% no ano passado. Já o download digital despencou 25% em relação a 2016. Em termos gerais, a indústria fonográfica cresceu pelo segundo ano consecutivo, chegando a US$ 8,7 bilhões em receita total. Esse foi o melhor resultado desde 2008. 

O levantamento apontou que quase todo o crescimento da indústria foi resultado do aumento contínuo de serviços de assinatura de música paga, como Spotify, Deezer e Apple Music. Essa modalidade cresceu 50% no ano passado e respondeu por dois terços da receita do setor. A mídia física foi responsável por 17%, e os downloads 15%. 

O professor Alexandre Amorim, 56, está entre os que engrossam a lista de quem prefere o disco físico a baixar uma música. "Da hora que acordo à hora que vou dormir, escuto música. Venho à loja, converso com o dono, vejo as novidades. O conjunto do CD é imbatível, pois tem também a arte", afirmou. 

O aficcionado cita o novo álbum de Maciel Salú, Liberdade, lançado em março, como exemplo. "Veja só a foto da capa como é bonita. Abrindo o encarte, temos um acabamento primoroso, as letras, além de páginas em branco para anotações de quem ouve. Isso é incomparável", completou.

A mesma sensação satisfaz o administrador de empresas Marcelo Russell, 45 anos, ao comprar e ouvir discos de vinil. Ele tem mais de 1,2 mil LPs e 500 CDs em casa. Todos os long plays são catalogados. “Tem todo um ritual e uma nostalgia ouvir o LP. Gosto de ver as capas, de tirar o disco dela, colocar na vitrola, a agulha. Tudo isso gera fascínio”, ressaltou.  

Onde comprar 

Passa Disco 
Endereço: Rua da Hora, 345, Espinheiro, Recife (Galeria Hora Center) 
Telefone: (81) 3268-0888 
contato@passadisco.com.br 

Oficina da Música 
Endereço: Alto da Sé (ao lado do G.R.E.S. Preto Velho), Olinda 
Telefone: (81) 3224-7654 
oficinadamusica1@gmail.com 

Vinil Alternativo 
Endereço: Rua Sete de Setembro, 105, loja 5, Boa Vista, Recife 
Telefone: (81) 3222-2385 
vinilalternativo@hotmail.com 

Flowers Records 
Endereço: Praça Machado de Assis, 66, loja 139, Boa Vista, Recife 
Telefone: (81) 3231-5846 
flowersrecordsbrazil@terra.com.br 

Dema Vinil 
Endereço: Praça Maciel Pinheiro, 370, 1º andar, Boa Vista, Recife 
Telefones: (81) 98829-1714 e (81) 99722-6831 
dema_vinil@hotmail.com 

Livraria Cultura 
Endereços: shoppings Paço Alfândega e RioMar 
Telefones: (81) 2102-4033 e (81) 3256-7500 
Site: www.livrariacultura.com.br 

Livraria Saraiva 
Endereços: shoppings Recife e RioMar 
Telefones: (81) 4003-3390 e (81) 3015-5300 
Site: www.saraiva.com.br


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.