• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Folia Naná Vasconcelos ganha boneco gigante de Olinda A réplica do músico, falecido em 2016, desfilará nas ladeiras do Sítio Histórico da cidade

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/01/2018 21:20 Atualizado em: 25/01/2018 22:49

Boneco foi feito por Mestre Camarão, discípulo de Sílvio Botelho por mais de 17 anos. Foto: Ascom UFRPE/Divulgação
Boneco foi feito por Mestre Camarão, discípulo de Sílvio Botelho por mais de 17 anos. Foto: Ascom UFRPE/Divulgação

O músico Naná Vasconcelos entrou para o rol de artistas que ganharam um boneco gigante de Olinda em 2018. A "réplica" do percussionista pernambucano - que ainda está em acabamento - foi feita pelo Mestre Camarão, um dos artesãos da Casa dos Bonecos Gigantes e Mirins de Olinda, e apresentada pela primeira vez nesta quinta-feira (25), na Universidade Rural Federal de Pernambuco (UFRPE). Assim como os outros gigantes, o boneco desfilará nas ladeiras do Sítio Histórico da cidade durante os quatro dias de festa.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

O evento realizado para apresentar a homenagem ao músico contou com apresentações do Maracatu Cambinda Brasileira, de Nazaré da Mata, e o Maracatu Estrela Brilhante, do Alto José do Pinho, no Recife. Orquestra das Pás e Escola de Frevo Abre Alas também participaram da programação. A confecção do boneco está em fase final, incluindo suas roupas - feitas por um artesão do Alto da Sé. O gigante ainda receberá acabamentos até o próximo domingo (4).

Além do percussionista, nomes como Ivete Sangalo e Mc Troinha são outros artistas que tiveram novos bonecos apresentados neste ano. O carnaval de 2018 será o segundo tem a presença de Vasconcelos, que faleceu em março de 2016, após enfrentar um câncer de pulmão. No Bairro do Recife, pela primeira vez em anos a festividade não contará com o tradicional cortejo com as nações de maracatu de baque virado, comandado por Naná durante 15 anos. A apresentação será substituída por espetáculos de frevo.

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.