• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Manutenção Cinema São Luiz está fechado por falta de equipamento Atividades devem ser retomadas apenas depois do carnaval

Por: Caio Afonso - Diario de Pernambuco

Publicado em: 23/01/2018 15:51 Atualizado em: 24/01/2018 17:35

A paralisação das atividades foi devido a um problema na placa transmissora dos filmes. Crédito: Victor Juca/Divulgação
A paralisação das atividades foi devido a um problema na placa transmissora dos filmes. Crédito: Victor Juca/Divulgação

Sem funcionar há mais de um mês, o Cinema São Luiz segue de portas fechadas. A programação normal foi mantida até o dia 13 de dezembro, depois disso os serviços foram suspensos. O motivo da pausa foi um defeito na placa ICP do projetor digital. "A peça é responsável pela distribuição de luz e som do aparelho. Sem ela, o filme não roda", explica Geraldo Pinho, programador do Cinema São Luiz. 
 
Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

A peça começou a apresentar defeito no final de outubro do ano passado, às vésperas da 10ª edição do Janela Internacional de Cinema do Recife, que aconteceu entre os dias 03 e 12 de novembro. "Uma placa foi alugada especialmente para o Janela. Depois disso, para encerrar a programação de 2017, foi feita uma negociação entre a Fundarpe (Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco) e o Porto Digital, que forneceu outra placa para a realização do FestCine (Festival de Curtas de Pernambuco). Com o fim do festival, o aparelho foi recolhido", disse o gestor do Cinema São Luiz, Gustavo Coimbra, ao Viver

O aluguel de uma nova placa foi providenciado através de Alexandre Barros, parceiro do São Luiz. O processo de locação já foi aprovado pela Fundarpe e está em fase de contratação. "Apesar de ser uma placa que não se aluga e dificilmente se vende, conseguimos com o Alexandre o contato de uma pessoa que presta serviço de instalações em São Paulo", completa Coimbra que não soube informar o valor do aluguel, mas estima-se que a compra da peça gira em torno de 30 mil reais. Enquanto a licitação da compra de uma nova placa não é aprovada, as atividades do patrimônio histórico seguem com a peça alugada. As atividades devem ser retomadas apenas depois do carnaval.
 
Acompanhe o Viver no Facebook: 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.