• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Artes cênicas Homofobia e frevo em cartaz no Janeiro de Grandes Espetáculos Ebulição, com Valéria Vicente, e Luzir é Negro, com Marconi Bispo, são as atrações do evento

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 15/01/2018 20:21 Atualizado em: 16/01/2018 14:30

Valéria Vicente e Marconi Bispo, artistas que se apresentam nesta terça no Janeiro de Grandes Espetáculos. Crédito: Juliana Brainer e Ricardo Maciel/Divulgação
Valéria Vicente e Marconi Bispo, artistas que se apresentam nesta terça no Janeiro de Grandes Espetáculos. Crédito: Juliana Brainer e Ricardo Maciel/Divulgação

O Janeiro de Grandes Espetáculos movimenta os palcos do Recife em um mês que, em outros estados, é sinônimo de férias também para as artes cênicas. Em plena terça-feira, dois solos estão em cartaz na cidade, seja dentro da programação oficial, seja apoiados pela iniciativa. Uma peças de teatro e um espetáculo de dança - por sinal, uma estreia - ocupam casas de espetáculo da capital pernambucana.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

A bailarina Valéria Vicente apresenta, pela primeira vez, o solo Ebulição, que partiu da pesquisa com o frevo para tomar um rumo bem diverso. Os tremores corporais são a matriz da coreografia e foram percebidos a partir dos espasmos sofridos nos ensaios pós-carnaval. A montagem foi desenvolvida a partir de experimentos tanto no Brasil como em Londres, onde estudou de maio a agosto do ano passado. A produção tem sessão única no Teatro Hermilo Borba Filho (Cais do Apolo, s/n, Bairro do Recife), às 20h.

Já o ator e cantor Marconi Bispo volta a apresentar seu monólogo Luzir é negro, seguindo a linha do biodrama pesquisado pelo seu grupo, o Teatro de Fronteira. Sua intenção é investigar as diversas manifestações do racismo em sua existência como homem negro, nordestino, gay, candomblecista e periférico. Seja a partir de suas memórias familiares, profissionais e da observação de acontecimentos sociais, o artista discute como a estrutura social rebate na vida privada das pessoas e reivindica a memória como ponto de partida para esse tipo de reflexão. A apresentação acontece às 19h, no Teatro Marco Camarotti (Rua 13 de maio, 455, Santo Amaro). A entrada para os dois espetáculos custa R$ 30 e R$ 15 (meia).

Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.