• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Internet Repórter André Gallindo é vítima de preconceito por ser pernambucano e rebate 'Pelo perfil, trata-se de alguém privilegiado, branco, universitário, teve acesso a outro idioma...', respondeu o jornalista

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 08/01/2018 20:30 Atualizado em: 08/01/2018 20:56

Repórter da Globo, André Galindo, inciou carreira da TV Asa Branca. Foto: Globo/Reprodução
Repórter da Globo, André Galindo, inciou carreira da TV Asa Branca. Foto: Globo/Reprodução

O jornalista André Gallindo fez uma série de publicações para rebater um usuário do Twitter que o chamou de "paraíba" nesta segunda-feira (8). "Tem mal gosto hein, Paraíba. A imprensa é uma merda", digitou o perfil ao responder um tuíte do pernambucano. "Caro Sílvio Macedo, não sou 'Paraíba'. Não desse jeito pejorativo que você atribui aos nordestinos. A minha sorte é que pessoas preconceituosas como você são minoria aqui no Rio", respondeu o funcionário da TV Globo.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

O adjetivo "paraíba" - geralmente dito por pessoas do sudeste do país para se referir aos nordestinos de forma preconceituosa - foi utilizado para rebater uma critica do jornalista em torno de uma entrevista dada por Philippe Coutinho a um canal oficial do Barcelona: "Canais oficiais do Barcelona 'entrevistaram' Coutinho várias vezes. Respostas protocolares. Só na coletiva pudemos saber suas opiniões sobre grana, diferença de Neymar, últimos dias de Liverpool, Vasco... Nada supera o jornalismo", diz o tuíte de Gallindo que incomodou o autor da ofensa.

"Seis anos de Rio, já ouvi e li algumas vezes o 'adjetivo' que Sílvio Macedo (@sbrazzjr) me atribuiu aqui embaixo. Pelo perfil, trata-se de alguém privilegiado, branco, universitário, teve acesso a outro idioma... Filho da ‘meritocracia’. Talvez aprenda, um dia, o que é respeito", continuou o jornalista sobre o adjetivo "paraíba". Em tempo, sou NORDESTINO de pai, mãe e parteira. Com um orgulho do tamanho do Rio São Francisco. Isso jamais me será uma ofensa. Mas combaterei qualquer tipo de preconceito com todas as minhas forças", concluiu.

Confira as publicações:









Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.