• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Televisão Condenado pela justiça, apresentador Denny Olliveira anuncia retorno Jornalista e radialista recebeu acusações de atentado violento ao pudor contra quatro meninas

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 20/12/2017 19:30 Atualizado em: 20/12/2017 22:22

Aos 51 anos, Denny afirma que revelará mais detalhes sobre novo trabalho. Fotos: TV Tribuna/Reprodução
Aos 51 anos, Denny afirma que revelará mais detalhes sobre novo trabalho. Fotos: TV Tribuna/Reprodução

A matéria foi editada para corrigir erro na data sobre as investigações - estava grafada 2017, quando o correto é 2007 - e acrescentar informações sobre as acusações contra o apresentador.

O ex-apresentador de TV Denny Oliveira, condenado por atentado violento ao pudor contra uma criança, está se articulando para voltar ao ar no ano que vem. O jornalista e radialista está montando uma equipe para trabalhar no seu novo projeto, cujos detalhes ainda serão revelados por ele. Ao Viver, Denny afirmou que já acertou o retorno com uma emissora de televisão. "Também será na TV", garantiu, deixando a entender que ocupará também outras plataformas. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

Atualmente, ele usa as redes sociais para mostrar bastidores do novo trabalho tanto no perfil pessoal quanto em uma fanpage, que acumula mais de 4,4 mil fãs. Em agosto, começou a fazer uma série de transmissões ao vivo, nas quais apresentava online o programa Café da manhã, de segunda a sexta-feira, às 8h. "Um sucesso. O segundo dia de entrevistas com candidatos a futura equipe de produção de meus novos projetos" publicou ele nesta quarta-feira (20). 


Dennison Oliveira Lima, que popularizou o bordão "não diga alô, diga alô Denny", iniciou a carreira na televisão na década de 1990 e passou por várias emissoras pernambucanas. Ele foi condenado em 2014 a sete anos de reclusão em regime semiaberto por atentado violento ao pudor contra uma criança que tinha 11 anos de idade na época em que o crime, segundo a Justiça, foi cometido, em 2006. 

Em 2007, ele começou a ser investigado por acusações envolvendo quatro crianças em casos relacionados a estupro, atentado violento ao pudor e oferecimento de bebida alcoólica a menores de idade. As vítimas seriam meninas, menores de idade, que supostamente frequentavam os programas de auditório apresentados por ele.

Em um dos casos, o apresentador foi inocentado por falta de provas. Em dois, houve prescrição. As investigações foram conduzidas pela Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA) de Pernambuco.

Relembre o caso:


 
Acompanhe o Viver no Facebook: 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.