• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
TV MasterChef Profissionais: Pablo Oazen vence disputa em final recheada de elogios O cozinheiro conseguiu superar Francisco Pinheiro no menu de degustação autoral, com dois pratos principais e duas sobremesas

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 06/12/2017 00:02 Atualizado em: 06/12/2017 10:09

Pablo apostou em sobremesas com sabores brasileiros. Foto: Band/Reprodução
Pablo apostou em sobremesas com sabores brasileiros. Foto: Band/Reprodução


A segunda temporada do MasterChef profissionais, na Band, contou com um término repleto de emoção nesta terça-feira (5). Na primeira final masculina da atração, Pablo Oazen conseguiu superar os pratos de Francisco Pinheiro, levando um prêmio de R$ 200 mil, uma viagem internacional e o troféu MasterChef profissional. Os cozinheiros tiveram de preparar um menu de degustação autoral, com dois pratos principais e duas sobremesas. A escolha do vencedor foi feita exclusivamente pelos critérios técnicos, avaliados pelos jurados Henrique Fogaça, Erick Jacquin e Paola Carosella. A final do talent show apresentado por Ana Paula Padrão contou com um público composto por ex-participantes da edição e familiares dos competidores.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Ambos cozinheiros foram bastante elogiados por suas performances durante a temporada. "Vai ser extremamente difícil de escolher um vencedor, vocês são incomparáveis", disse Paola, logo após uma das degustações. "Vocês acabam de começar uma revolução gastronômica no Brasil. Estão de parabéns", foram as palavras de Erick. Pablo apresentou de entradas nhoque de patê de fígado de frango e batata doce e um mexilhão. Como pratos principais, apostou em uma truta recheada de castanhas e um blanquette de língua que recebeu elogios dos três jurados: "Muito saboroso, apresentação moderna, trouxe gordura para um prato que é seco", disse Paola. Erick categorizou o trabalho do cozinheiro como "explosão de sabor".

Já Francisco apresentou de entradas um foie gras souté e um camarão. No prato principal, optou por um robalo grelhado com três texturas de couve-flor que não agradou tanto quando o concorrente. Os jurados apontaram ausência de acidez e tempero. Seu segundo prato do chef, uma vitela grelhada ao molho de mordilles, foi uma como uma carta na manga, compensando sua performance mediana da produção anterior. "Você modernizou um prato que é bastante tradicional", ressaltou Paola.

Nas sobremesas Pablo fez um sorvete de goiaba recheado de goiabada e gergelim e um sorvete de pão na chapa. Ambos pratos receberam muitos elogios dos jurados, que ressaltaram "brasilidade" no sabor. Francisco ficou empatado com o concorrente com seu abacaxi assado com creme de mascarpome e mouse de chocolate amargo com caju e gelatina de cachaça. Paola e Fogaça admitiram que não acreditavam nos pratos, mas foram surpreendidos.

Nos momentos finais, Paola fez um discurso que emocionou todos cozinheiros do estúdio: "Cozinheiro é aquele que está sempre fechado na cozinha, não mostra a cara, não anda pelo salão. Pôr a cara em um programa de TV é muito difícil. Muito obrigada por dar tanto prestigio a esse programa". O discurso para premiar o vencedor foi, pela primeira vez, feito por um telespectador do programa: "O mercado poderia ficar disponível por horas, mas se os ingredientes superação, perseverança e autoconfiança não estivessem na receita, o campeão não estaria aqui hoje. Parabéns, Pablo". 


Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.