• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
TV Prestes a estrear em 3%, da Netflix, atriz Maria Flor encara o desafio da direção Ela dirigiu série para o Multishow e clipe do pernambucano Victor Camarote, faixa-título do disco que será lançado neste sábado, no Casbar

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/11/2017 13:38 Atualizado em: 24/11/2017 19:02

Maria Flor está na segunda temporada de 3%, série da Netflix. Foto: Globo/Divulgação
Maria Flor está na segunda temporada de 3%, série da Netflix. Foto: Globo/Divulgação

 A atriz carioca Maria Flor está na TV desde 2003, quando viveu Regina em Malhação. Antes, as experiências  se limitavam a participações. Basicamente, os trabalhos feitos no meio foram na Globo. A lei do amor, exibida em 2016, foi a última novela dela. Fora da TV aberta desde então, tem se aventurado por projetos variados. Ela está no elenco da segunda temporada de 3%, série de distopia da Netflix, cujos novos episódios serão lançados no próximo ano. A produção é protagonizada por João Miguel e Bianca Comparato.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

A participação no seriado já foi gravada, mas ela não pode antecipar detalhes da personagem por questões contratuais. Neste ano, Maria também dirigiu o primeiro clipe da carreira: Quem disse, faixa-título do disco do cantor pernambucano Victor Camarote, que será lançado neste sábado, às 21h, no Casbah, em Olinda - evento contará com participação de Isaar e Maestro Spok. Além de 3%, Maria está no teatro, preparando-se para estrear novo espetáculo. Nos cinemas, entrará em cartaz com o filme Albatroz, com lançamo previsto para ano que vem.

Victor Camarote e Maria Flor nos bastidores do clipe Quem Disse. Foto: Trago Boa Notícia/Divulgação
Victor Camarote e Maria Flor nos bastidores do clipe Quem Disse. Foto: Trago Boa Notícia/Divulgação


Em que você trabalha atualmente?
Atualmente estou começando a ensaiar uma peça chamada A ponte, que é do autor canadense Daniel MacIvor. Ao mesmo tempo, estou finalizando o meu primeiro longa, chamado Filme ensaio, documentário sobre como ser ator, se colocar em cena e as dificuldades. Tenho um filme para estrear ano que vem, Albatroz, com roteiro do Bráulio Montovani com direção do Daniel Augusto. No elenco, estão Andrea Beltrão, Alexandre Nero e Camila Morgado. No momento, não estou reservada para nada na Globo.

A sua última novela foi A lei do amor em 2016. Passar um tempo sem o ritmo frenético de gravação de uma novela é saudável?
Eu adoro gravar novela. Adoro o ritmo acelerado do trabalho e aquela excitação de estar no ar, mas estar fora do ar é bom para pensar nos próprios projetos e ter tempo para mim, para pensar, para escrever. 

A direção do clipe da música Quem disse, do cantor pernambucano Victor Camarote, foi sua. Como foi a experiência?
Adorei dirigir o clipe. O Victor é muito talentoso e foi um prazer trabalhar com ele. Foi o primeiro clipe que dirigi, então foi especial.

Você também dirigiu a série Só garotas, para o Multishow. Pensa em se aventurar novamente?
É muita responsabilidade, mas é de uma criatividade enorme, cheia de decisões difíceis, mas que com um pouco de inventividade podem ajudar aquele trabalho a ter um caminho novo. Adorei a experiência da série Só garotas e tenho muita vontade de dirigir mais. Só que tem que ter um projeto muito pessoal para isso. Estou trabalhando nele. 

Você está no elenco da segunda temporada de 3%. Como é fazer parte de um projeto fora da Globo?
Já filmei a série 3%. Mas não posso falar nada por contrato... O mercado se expandiu muito. Hoje a Netflix produz, a Fox, a TNT, todos os canais Globosat. Acho que o mercado está interessante, mas sinto falta de mais papéis femininos importantes. De as mulheres não estejam colocadas como objetos de desejo e, sim, como pessoas que estão se transformando e vivendo a vida de forma intensa e rica. Acho que faltam protagonistas mulheres.

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.