• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Cinema Gal Gadot ameaçou parar gravações de Mulher-Maravilha para afastar produtor acusado de assédio, diz site A atriz está forçando os estúdios da Warner Bros. a quebrarem contrato com a produtora RatPac-Dune, comandada por Brett Ratner

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 13/11/2017 22:31 Atualizado em:

Atriz israelense interpretou a heroína mais lucrativa da DC Comics. Foto: Kevin Winter/AFP
Atriz israelense interpretou a heroína mais lucrativa da DC Comics. Foto: Kevin Winter/AFP

Mulher-Maravilha dentro e fora das telas, a atriz Gal Gadot está se posicionando fortemente contra a cultura de assédio que comanda Hollywood há décadas. A israelense está forçando os estúdios Warner Bros. a terminarem o contrato com a produtora RatPac-Dune, comandada por Brett Ratner, acusado de assédio por várias atrizes, como Olivia Munn, Natasha Henstridge e Ellen Page.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Segundo o portal Page Six, a atriz teria ameaçado parar as filmagens de Mulher-Maravilha 2 caso a produtora RatPac-Dune continue a ser parceira na realização do longa. "Brett fez muito dinheiro com Mulher-Maravilha (primeiro filme), graças ao envolvimento da empresa dele no filme, agora Gadot está falando que não vai fazer a sequência caso Brett continue se beneficiando", explicou uma fonte ao site. "Ela sabe que a única forma de atingir Brett é através do bolso, e ela também sabe que a Warner vai ficar do lado dela nisso, eles não podem ter um filme de empoderamento feminino com um homem acusado de assédio", completou.

Na semana passada, quando as acusações surgiram, a Warner anunciou que está revendo as "relações" com Ratner. No começo do mês, Gal postou em seu Instagram: "Bullying e assédio sexual são inaceitáveis! Eu estou com todas as mulheres corajosas que estão confrontando seus medos e acusando. Juntas nos conseguiremos. Estamos todas unidas nesse tempo de mudança".

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.