• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Violência Homem atira veneno em crianças que tocavam maracatu: 'Isso não é cultura, é vergonha' Grupo de jovens participava de oficina de percussão em praça pública quando foi alvejado por comerciante

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/11/2017 16:00 Atualizado em:

Homem utilizou bomba para lançar produto químico. Fotos: Facebook/Reprodução
Homem utilizou bomba para lançar produto químico. Fotos: Facebook/Reprodução

Um vídeo divulgado nas redes sociais na última quinta-feira (9), flagra o momento em que um idoso lança veneno contra um grupo de crianças que participava de uma oficina de maracatu, em praça pública. O comerciante, identificado como Rosalvo Souza, ficou incomodado com o barulho provocado pelos instrumentos percussivos, se aproximou e começou a jogar veneno no local. No vídeo, é possível ver o momento em que uma das crianças afirma que se trata de uma expressão cultural, ao que ele responde: "isso não é cultura, é uma vergonha".

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

O caso ocorreu no município de Foz de Iguaçu, no Paraná. No Facebook, o Centro de Cultura Popular de Foz do Iguaçu, entidade responsável pelo projeto Ponto de Cultura Maracatu Alvorada Nova, que promove as oficinas de maracatu para jovens da cidade, denunciou o ocorrido e expressou repúdio pelo ato, considerado racista, em nota: "Nossa caminhada é repleta de boas energias e esperança num mundo melhor, somos uma das mais antigas entidades culturais do município e nunca imaginamos viver tamanha intolerância, somos artistas e com muito orgulho batalhamos pela cultura iguaçuense levando com axé a linguagem dos nossos maracatus ao mundo".

"Temos convicção que a arte transforma vidas e muda realidades, por isso ficamos ainda mais revoltados, hoje apesar da indignação, afirmamos que atitudes racistas e intolerantes nos dá ainda mais força para seguirmos firmes, e ainda mais fortes, juntos as nossos alunos que estão com suas agendas de apresentações cheias", declarou a entidade em nota. "Atingir o Maracatu não é só ser intolerante, é, sobre tudo, ser racista, e por isso afirmamos que não passará impune. E todas as atitudes necessárias já estão sendo tomadas!", diz outro trecho da nota.

Confira o registro:


Acompanhe o Viver no Facebook:





Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.