• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Assédio Ellen Page se diz alvo de assédio e homofobia: 'Você devia transar com ela para saber se é gay' Atriz de 30 anos, assumidamente lésbica, fez desabafo para lembrar de casos

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/11/2017 12:01 Atualizado em:

Atriz de 30 anos fala ativamente sobre representatividade lésbica no cinema e na TV. Foto: Facebook/Reprodução
Atriz de 30 anos fala ativamente sobre representatividade lésbica no cinema e na TV. Foto: Facebook/Reprodução

A atriz canadense Ellen Page, de 30 anos, denunciou, por meio de uma publicação no Facebook, um caso de assédio e lesbofobia sofrido por ela ainda na adolescência em Hollywood. Ela lembra de um evento para o elenco de X-men 3: O confronto final, antes do início das filmagens, no qual o diretor Brett Ratner disse para outra mulher, ao seu lado: "Você deveria fodê-la para que ela perceba que é gay". 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

"Eu era uma jovem adulta que ainda não tinha saído do armário. Eu sabia que eu era gay, mas não sabia, por assim dizer. Eu me senti violada quando isso aconteceu. Olhei para os meus pés, não disse uma palavra e continuei vendo o que ele fazia. Este homem, que me lançou no filme, começou nossos meses de filmagem em um evento de trabalho com esse assédio horrível e incontestável. Ele me 'tirou do armário' sem consideração pelo meu bem-estar, um ato que todos reconhecemos como homofóbico", relatou. 

"Todos nós temos o direito de entrar em consciência de nossa orientação sexual de forma privada e em nossos próprios termos. Eu era jovem e, apesar de já ser uma atriz trabalhando por tanto tempo, de várias maneiras fui isolada, crescendo em sets de filmagens ao invés de estar cercada dos meus pais. O comentário de Ratner repetiu em minha mente muitas vezes ao longo dos anos, quando encontrei a homofobia e lidei com sentimentos de relutância e incerteza sobre a indústria e meu futuro nela", completou ela, dizendo que a diferença era que agora poderia usar sua voz se opor a esses casos. 

Page, que se assumiu lésbica há quatro anos e, desde então, fala sobre a diversidade sexual em entrevistas e programas de TV, conta ainda de uma situação pela qual passou ainda mais nova, aos 16 anos de idade. "Um diretor me chamou para um jantar (uma obrigação profissional muito comum). Ele alcançou a minha perna sob a mesa e disse: 'Você precisa tomar iniciativa, eu não posso'. Eu tomei a iniciativa e feliz me safei da situação. De forma dolorosa, tomei consciência: 'Minha segurança não estava garantida no trabalho". 

Leia o desabado completo: 

[VIDEO2] 

Acompanhe o Viver no Facebook: 




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.