• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Audiovisual Estudante cria o Libreflix, a Netflilx gratuita da cultura para obras de arte Plataforma contém séries, filmes, curtas, documentários e outras produções enviadas por colaboradores

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 06/11/2017 11:40 Atualizado em: 06/11/2017 11:38

Quem desejar colaborar, pode se inscrever no Libreflix e preencher uma ficha com as informações acerca do material submetido. Foto: Libreflix/Reprodução
Quem desejar colaborar, pode se inscrever no Libreflix e preencher uma ficha com as informações acerca do material submetido. Foto: Libreflix/Reprodução

Uma plataforma independente e colaborativa disponibiliza para os usuários diversas produções audiovisuais de forma gratuita. No ar desde o final de outubro, a Libreflix tem um catálogo que abarca documentários, filmes, séries, curtas-metragens e outros tipos de títulos enviados por colaboradores interessados em expor seus trabalhos, incluindo programação infantil. O serviço foi criado pelo estudante curitibano Guilmour Rossi com base no conceito de "cultura livre". 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

"Nós defendemos novas formas de compartilhamento da cultura. Formas que atinjam todas as pessoas, principalmente as que não podem pagar por ela. Formas que conectem os artistas direto com os fãs. E até formas que permitam que artistas criem algo novo à partir do trabalho de outros artistas. Cultura é ciência, é poesia e é de todo mundo" é a descrição disponibilizada no site do projeto. 

Quem desejar colaborar, pode se inscrever no Libreflix e preencher uma ficha com as informações acerca do material submetido, como a classificação indicativa, descrição e ano de produção. Os filmes enviados passam por uma análise antes de serem disponibilizados ao público - atualmente, o catálogo conta com cerca de 200 títulos e aproximadamente cem aguardam aprovação da equipe. 

O documentário Quem matou Eloá?, que investiga a influência da mídia no desfecho do sequestro da jovem Eloá Pimentel, em 2008, é uma das produções disponíveis. Human: O que faz de nós humanos, Viral (do Porta dos Fundos), Castelo rá tim bum e a versão original de 3%, antes de ser comprada pela Netflix, são exemplos de séries que compõem o catálogo. Há ainda espaço para clássicos, representados por Metrópolis (1927) e Viagem à lua (1902). 

Acompanhe o Viver no Facebook: 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.