• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Música Músico da Torpedo morre de AVC e vocalista se emociona em show da banda Grupo de brega é um dos mais conhecidos da cena musical pernambucana

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 01/11/2017 20:29 Atualizado em: 01/11/2017 20:56

Francyne Roper se emocionou durante show em Caruaru. Foto: Instagram/Reprodução
Francyne Roper se emocionou durante show em Caruaru. Foto: Instagram/Reprodução

A Banda Torpedo, um dos principais grupos de brega de Pernambuco, vem passando por momentos difíceis em relação à saúde dos integrantes em 2017. O baixista da banda, Duda Bass, de 35 anos, faleceu no dia 26 após sofrer um AVC atribuído a complicações da diabetes. Parte dos fãs ficou sabendo da perda no fim de semana, quando a vocalista Francyne Roper homenageou o músico durante um show em Caruaru, no interior do estado. "O show de hoje será dedicado a ele", disse a cantora, bastante emocionada. A morte súbita ocorre em meio à luta do vocalista Daivison Kellrs contra um câncer no fígado - atualmente, ele se submete a quimioterapia para tratar a doença.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Carlos Eduardo Abdon Gomes morava no bairro do Janga, em Paulista, junto com a esposa e os pais - ele não tinha filhos. O músico ocupava o cargo de baixista da banda de brega desde 2013. Apesar do tempo de convívio, nenhum integrante sabia que ele era diabético. O artista teve o primeiro AVC no dia 12 de outubro, após uma apresentação da Torpedo. "Ele chegou em casa e se sentiu mal. Depois disso, ficou internado no Hospital da Restauração por quatro dias", explica Silvano Melo, assessor da banda. 

Duda ficou afastado da banda. Ele foi substituído temporariamente por Tiago Melo (também conhecido como Tapioca, que já tocou na Banda Sedutora e Vai de 3), que agora assume oficialmente a posição de baixista. O show da Torpedo em Caruaru, na casa Farreiro, estava marcado para o dia 26, mas foi adiado devido ao falecimento do integrante. "Estava todo mundo abalado, não tinha condições de fazer", diz Francyne. "Quando soubemos, passou aquele filme na cabeça. Já tínhamos a situação do Daivison, e depois veio outra pancada. Estamos mais calmos agora. Antes do show sempre fazemos uma oração no ônibus", conta a vocalista.

Internado em julho, o vocalista Daivison está de repouso em casa e participa de algumas apresentações quando "se sente bem". "Ele está descansando e em tratamento, realizando uma sessão de quimioterapia por semana. Mas sempre que pode ele canta", diz Silvano. "Os shows são sempre muito emocionantes. O público leva presentes para ele e estão recebendo bem o substituto, o cantor Júnior Dieckman", completa.

Assista ao momento em que Francyne Roper se emociona durante o show:



Confira a publicação da banda sobre o falecimento de Duda Bass:


Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.