• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Expulsão Casal é expulso de museu após pedido de casamento inusitado Chris Narine pediu a mão de sua namorada, Marybeth O'Haire, no Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 11/10/2017 18:34 Atualizado em: 11/10/2017 18:42

O pedido foi feito ao lado de The Dreamer, pintura de Piccaso. Foto: Kelly Joyce/Reprodução
O pedido foi feito ao lado de The Dreamer, pintura de Piccaso. Foto: Kelly Joyce/Reprodução


Um casal foi expulso do Metropolitan Museum of Art, um dos principais acervos de arte da cidade de Nova Iorque, após um pedido de casamento
inusitado. Para pedir a mão de sua namorada, o designer gráfico Chris Narine elaborou um desenho que retratava o momento da proposta: um homem ajoelhado colocando um anel em uma mulher de vestido vermelho (o mesmo que ela usava no dia). A obra foi colocada na parede do museu, ao lado de The dreamer (1932), pintura de Piccaso que é a preferida de sua parceira, a designer de interiores Marybeth O'Haire. Após realizar o pedido na frente da ilustração, os norte-americanos foram abordados pelos seguranças do local, que pediram que removessem o desenho e saíssem do prédio.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre


"Por sorte, eu a conheço muito bem e tive a sensação de que ela reagiria assim", disse Chris em entrevista ao Daily mail. "A pintura é uma pose bastante
genérica, para ser honesto. A maioria das mulheres naquela situação que imaginei cobriria o rosto dela como ela fez". Para que tudo saísse como
esperado, Narine contou com a ajuda de sua sogra, que convenceu Marybeth a usar o vestido retratado no desenho no dia da proposta.

O irmão e a cunhada do norte-americano foram responsáveis por colocar o desenho na parede. Durante um passeio do casal no museu, Chris levou a namorada para a obra, local onde ajoelhou-se e fez propôs o casamento. Uma prima de Marybeth, a fotógrafa Kelly Joyce, estava presente no recinto para documentar tudo. Quando os seguranças pediram que o casal saísse do museu, a futura esposa já havia dito "sim".

Acompanhe o Viver no Facebook:





Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.