• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Cinema Música de Erasto Vasconcelos inspira animação pernambucana Fazenda Rosa recria paisagem sonora do olindense através do stopmotion

Por: Alef Pontes

Publicado em: 12/09/2017 14:26 Atualizado em: 13/09/2017 15:59

Erasto Vasconcelos acompanhou criação do roteiro e storyboard do curta. Foto: YouTube/Reprodução
Erasto Vasconcelos acompanhou criação do roteiro e storyboard do curta. Foto: YouTube/Reprodução

O músico e compositor pernambucano, Erasto Vasconcelos é homenageado no curta-metragem de estreia da produtora Produções Ordinária: Fazenda rosa. Inspirado na composição de mesmo título, do próprio Erasto Vasconcelos, o filme recria, através do stopmotion, a paisagem sonora cantada pelo poeta olindense, falecido no final do ano passado.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Segundo Marila Cantuária, responsável pelo roteiro, direção de animação e fotografia, a ideia de criar um produto audiovisual atrelado à obra sonora de Erasto surgiu após uma experiência anterior com o músico. Ela e Chia Beloto (que assina a direção e direção e arte do projeto), já haviam trabalhado na realização do videoclipe para música Baile Betinha.

"Após esse trabalho, nós estreitamos laços e conhecemos essa paisagem sonora de Erasto. É uma obra extensa, dividida em três atos. Então decidimos pegar um recorte desse trabalho para construir um fio narrativo", conta a diretora de animação, lembrando que o projeto teve início ainda no ano passado e que o próprio autor teve acesso ao roteiro e storyboard da obra, que só ficou completa no último mês.

Filme criar, através de ilustrações e colagens, ambiente onírico cantado pelo poeta. Foto: Fazenda Rosa/Divulgação
Filme criar, através de ilustrações e colagens, ambiente onírico cantado pelo poeta. Foto: Fazenda Rosa/Divulgação


O curta parte da paisagem sonora composta pelo poeta na primeira das fases da música, Pio tagarela. "Na primeira, o poeta evoca a fauna e a flora de um lugar chamado Fazenda Rosa, os bichos do dia e da noite, os peixes do rio, os pássaros e bichos do mangue", afirma a sinopse do filme. Através dos conhecimentos adquiridos na convivência com o próprio Erasto é que foi surgindo essa narrativa, com base no próprio fazer criativo do poeta, conta Marila: "A paisagem sonora da música é extremamente descritiva. Escolhemos esse primeiro ato, o Pio tagarela, porque era o que mais dialogava com esse momento da fazenda".

A música, que originalmente é dividida em três partes (Pio tagarela, Cantigas de roda - que já foi publicada em forma de livro acompanhado pela trilha - e Nau catarineta), tem duração total de 49 minutos. Na trilha sonora, a obra conta com a voz e flauta de Erasto. Segundo a realizadora, o curta, inscrito em diversos festivais de animação do país, conta com acessibilidade comunicacional e terá cópias distribuídas em escolas da rede pública de ensino.

Em sua trajetória, Erasto Vasconcelos ganhou notoriedade pela habilidade de extrair composições e músicas de temáticas como a natureza e a vida em sua cidade natal. Gravou dois álbuns de estúdio, Jornal da palmeira (2005) e Estrela brilhante (2009), além de um extenso material ainda inédito. Um de seus mais conhecidos e assíduos parceiros foi o, também olindense, grupo Eddie.

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.