• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Diversidade Exposição de arte é cancelada após pressão de grupos conservadores Mostra Queer Museum: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira estava em cartaz desde agosto e despertou críticas de grupos religiosos e do Movimento Brasil Livre

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 11/09/2017 10:21 Atualizado em: 11/09/2017 10:28

Um dos quadros expostos retratava imagens que simbolizavam crianças, com as frases "Criança viada deusa das águas" e "Criança viada travesti da lambada". Foto: Twitter/Reprodução
Um dos quadros expostos retratava imagens que simbolizavam crianças, com as frases "Criança viada deusa das águas" e "Criança viada travesti da lambada". Foto: Twitter/Reprodução

Uma exposição sobre diversidade sexual na arte foi cancelada em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, após críticas. A mostra Queer museum: Cartografias da diferença na arte brasileira entrou em cartaz no Santander Cultural da cidade no dia 15 e agosto e recebeu protestos e reclamações nas redes sociais e na própria instituição por promover "imoralidade", "blasfêmea", pedofilia e zoofilia, de acordo com o Movimento Brasil Livre (MBL) e grupos religiosos, que capitanearam o boicoite. Em nota, a instituição afirmou reconhecer que as obras presentes "desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas", o que "não está em linha" com a visão de mundo da empresa. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

Um dos quadros expostos retratava imagens que simbolizavam crianças, com as frases "Criança viada deusa das águas" e "Criança viada travesti da lambada". Outra obrava continha Jesus Cristo crucificado com vários braços, segurando um celular, um cachorro quente, um tênis e outros obejtos. Havia, também, a representação de Nossa Senhora segurando um bebê macado, ao lado do personagem infantil Galinha Pintadinha. 

"Sim, o MBL pressionou para que não acontecesse. Uma coisa é defender que todos sejam tratados de maneira igual, independentemente de orientação sexual, outra coisa é usar dinheiro da LEI ROUANET para financiar uma amostra para CRIANÇAS que conta com PEDOFILIA e ZOOFILIA. Criem vergonha na cara, canalhas!", argumentou Kim Kataguiri, um dos representantes do grupo. Nelson Marchezan Jr. (PSDB), prefeito de Porto Alegre com apoio do MBL, também se posicionou contra a mostra. 

"O objetivo do Santander Cultural é incentivar as artes e promover o debate sobre as grandes questões do mundo contemporâneo, e não gerar qualquer tipo de desrespeito e discórdia. Nosso papel, como um espaço cultural, é dar luz ao trabalho de curadores e artistas brasileiros para gerar reflexão. Sempre fazemos isso sem interferir no conteúdo para preservar a independência dos autores, e essa tem sido a maneira mais eficaz de levar ao público um trabalho inovador e de qualidade", diz o comunicado da empresa. "Quando a arte não é capaz de gerar inclusão e reflexão positiva, perde seu propósito maior, que é elevar a condição humana", acrescenta. 

Confira a nota completa: 

 

Acompanhe o Viver no Facebook: 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.