• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Carreira Bial dá livro com dicas de sexo anal para Simone e Simaria "Esse Bial é muito sem vergonha", disse Simone no Conversa com Bial

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/07/2017 09:12 Atualizado em: 14/07/2017 11:13

A busca das duas pelo corpo do pai, para a realização de uma cerimônia fúnebre, é antiga e já é conhecida pelos fãs. Foto: Carol Caminha/Gshow
A busca das duas pelo corpo do pai, para a realização de uma cerimônia fúnebre, é antiga e já é conhecida pelos fãs. Foto: Carol Caminha/Gshow

Pedro Bial deu dicas de sexo a anal a Simone, da dupla com Simaria, durante o Conversa com Bial desta quinta-feira (13). O apresentador lembrou da participação polêmica da artista no Altas horas, no qual ela pediu dicas à sexóloga Laura Muller sobre a prática. Bial disse que o episódio foi "histórico para a televisão brasileira" e levou o livro A casa dos budas ditosos, de João Ubaldo Ribeiro. "Ô Bial, quem quiser dar a roda é um sofrimento desgraçado, pode ter a vaselina que for...", brincou ela. 

As cantoras começaram a ler a obra, que dizia: "Primeira coisa: no começo, na iniciação, por assim dizer, tem que ser de quatro, requisito absoluto para a grande maioria. Segunda coisa: tem que dizer a ele que venha devagar. Ou, melhor ainda, dizer a ele que espere a gente irchegando de ré devagar, sempre devagar". "Esse Bial é muito sem vergonha", disse Simone. "Isso é literatura brasileira", retrucou o apresentador. A cantora revelou que recebeu orientação dos assessores de imprensa para se conter, já que Bial era "chique". 

Elas se emocionaram se emocionaram ao lembrar da morte do pai, há 22 anos. As cantoras, que antes eram chamada de As Coleguinhas, ainda lutam para recuperar o corpo dele, que foi enterrado sem identificação. "Meu pai faleceu há 22 anos, de repente. A gente não esperava. Meu pai era incrível. Éramos apaixonadas por ele. Vivemos com ele num garimpo, num lugar perigoso. Tinha uma disputa por diamante. A gente via essas coisas ruins. Meu pai estava ali sofrendo, tentando uma pedra preciosa para dar uma vida melhor", contou Simaria. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

A busca das duas pelo corpo, para a realização de uma cerimônia fúnebre, é antiga e já é conhecida pelos fãs. "Ele foi enterrado como indigente e lá choveu muito e está complicado de encontrar o corpo. A enxurrada levou todas as covas. Tem que exumar todos os corpos. É todo um processo. Quando ele morreu, eu ia fazer 11 anos e era louca por ele. Aí quando ele faleceu, eu fui dormir e via ele deitado do meu lado como se ele estivesse me olhando. E eu disse: 'no dia que eu fizer sucesso, pode custar o dinheiro que for, eu venho te tirar desse lugar", acrescentou a cantora. 

Naturais de Uibaí, na Bahia, as irmãs lembraram de infância difícil através do relato de Simaria. "Minha mãe lavava a roupa no rio para colocar comida em casa. A gente tem tanta história que precisaria de milhões de programas para contar. E de certa forma, encoraja as pessoas que têm medo de partir para a luta, de buscar o novo", disse ela, que recebeu elogios de Simone: "Essa mulher é um talento, maravilhosa, louca. Achava o máximo vê-la cantar. Quando eu ia cantar com ela, as pessoas falavam que eu atrapalhava". 

Acompanhe o Viver no Facebook: 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.