• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Artes cênicas Espetáculo dirigido por Jô Soares reencena encontro entre Freud e Dalí Visita real de Salvador Dalí a Sigmund Freud aconteceu em 1938 e mostra a interação entre arte e ciência no século 20

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 08/07/2017 09:12 Atualizado em:


Um dos encontros mais inusitados - e reais - entre dos dos personagens mais importantes do século 20 se tornou mote de uma peça dirigida por Jô Soares. O espetáculo Histeria, com texto de Terry Johnson, traz a breve convivência entre o pai da psicanálise, Sigmund Freud, e do artista visual Salvador Dalí, expoente do surrealismo. "Achei que era uma fantasia da cabeça do autor, mas tudo é baseado em fatos. Poucos sabem da conexão entre essas duas  personalidades", afirma o diretor. A produção entra em cartaz em curtíssima temporada no Teatro RioMar Recife hoje, às 21h e amanhã, às 19h.

Confira o roteiro de espetáculos em cartaz no Divirta-se

Escrita em 1993, mas ambientada na Londres de 1938, a produção relata um Freud já debilitado pelo câncer e próximo da morte que o alcançaria no ano seguinte. Além disso, ele havia acabado de escapar da perseguição do nazismo em Viena por conta de suas origens judaicas. Se, na vida real, a interação entre os dois foi prejudicada pela barreira do idioma e pela doença de Freud, a montagem, que passa pela comédia, pelo vaudeville e pelo drama, traz Freud em situações atrapalhadas enquanto Dalí o observa com grande curiosidade. "O que Dalí vê apenas em sonhos, você vive na realidade", diz o pintor a certo momento do espetáculo. Desde que leu A interpretação dos sonhos, o espanhol se sentiu contemplado e compreendido a partir dessa descoberta decisiva. Sua obra passou a unir ainda mais sexo, sonho e alucinação, em um movimento que influenciou toda a arte ocidental que veio depois dele.

O elenco é composto pelos atores Norival Rizzo como Sigmund Freud, Rubens Caribé como Salvador Dalí em substituição a Cássio Scapin, Milton Levy como Yahuda, um médico judeu e Érica Montanheiro como uma mulher misteriosa que busca respostas para eventos do passado. A escolha do texto por Jô aconteceu a partir de uma versão do espetáculo dirigida por John Malkovich em Paris. Em uma das sequências, Freud seguda uma bicicleta coberta por caramujos, com uma das mãos presa dentro de uma galocha e a cabeça enfaixada por um turbante. As referências psicanalíticas da peça estão representadas também pela cenografia, que emula o consultório do austríaco, e projeções que unem os pensamentos e delírios de Freud.

Os personagens questionam as teorias propostas por Freud para compreender a mente humana e, ao mesmo tempo, Dalí se torna um interlocutor capaz de compreender a profundidade do pensamento do austríaco. Ambos, o surrealismo e a psicanálise, davam uma projeção inédita ao inconsciente e seu poder de influenciar as escolhas que fazemos de forma supostamente racional e consciente. A liberdade proposta pela arte em geral, e pelo surrealismo em particular, também mostrou se encaixar bem na psicanálise, em um diálogo singular entre arte e ciência.

SERVIÇO
Histeria, dirigida por Jô Soares
Quando: Hoje, às 21h e amanhã, às 19h
Onde: Teatro RioMar Recife - Shopping RioMar - Avenida República do Líbano, 251, Pina
Ingresso: R$ 120 e R$ 60 (meia) para a plateia baixa, R$ 100 e R$ 50 para a plateia alta e R$ 80 e R$ 40 para o balcão
Informações: 4003-1212



Acompanhe o Viver no Facebook:


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.