• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Artes cênicas Espetáculo Machuca explora violência contra a mulher sob o olhar feminino Peça entra em cartaz nesta sexta no Teatro Capiba e é inteiramente baseada em histórias reais

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 19/05/2017 18:20 Atualizado em: 19/05/2017 20:09

Iara Campos (centro), Juliana Montenegro (à esq.) e Andrea Rosa (à dir) compõem o elenco de 'Machuca'. Crédito: Bella Valle/Divulgação
Iara Campos (centro), Juliana Montenegro (à esq.) e Andrea Rosa (à dir) compõem o elenco de 'Machuca'. Crédito: Bella Valle/Divulgação

Uma realidade dolorosamente cotidiana, que inclui o assédio, o abuso, o estupro e o assassinato de mulheres é o tema do novo espetáculo da Trupe Ensaia Aqui e Acolá, que estreia nesta sexta no Teatro Capiba, localizado no Sesc Casa Amarela. O machismo e seus efeitos na sociedade são abordados na peça Machuca, que convidou a atriz Ceronha Pontes para dirigir a montagem. O elenco é composto pelas atrizes Iara Campos, Andrea Rosa e Juliana Montenegro e traz, em sua dramaturgia, relatos baseados em casos de grande repercussão midiática e também de mulheres anônimas de todas as classes sociais.

Confira o roteiro de espetáculos em cartaz no Divirta-se

De acordo com a diretora da produção, Ceronha Pontes, trazer à tona, no palco, essa sucessão de fatos abomináveis foi um processo duro. "Conhecemos histórias cujos enredos podem parecer impossíveis para muitos espectadores. Tanta tragédia só sendo coisa de filme, de novela, de romance. Não. É tudo verdade. Decidimos por uma framaturgia onde assumimos a maior parte do tempo a função de narradoras, de mensageiras da tragédia. Não reproduzimos no palco os crimes que elegemos para contar. Mas também não há, em nenhum momento, o distanciamento do elenco. Ora é a atriz que narra, ora a personagem, mas é uma narrativa sempre carregada de envolvimento. Acho que entendemos melhor de empatia depois dessa experiência".

As referências feministas também se estendem ao trabalho de mulheres de várias épocas, que se destacaram em levantar a voz contra o contínuo silenciamento feminino. Entre elas, estão Karol Conka, Nísia Floresta Brasileira, Elizabeth Mia, Djamila Ribeiro, Ângela Davis e Maria Clara Araújo. Segundo Ceronha, a intenção também é trazer aos espectadores uma nova sensibilidade sobre o sofrimento feminino ao longo dos tempos. "Machuca quer apontar a ferida, mas quer ser unguento. Na rua ou no teatro, são inevitáveis socos no estômago da plateia, mas é possível, é bem possível que as pessoas também riam conosco, que tenham vontade de cantar e dançar".

Além das apresentações no Sesc Casa Amarela, a peça vai ganhar as ruas, gartuitamente, em cinco ocasiões: Praça do Diario, em 23 de maio; Praça da Encruzilhada, em 24 de maio; Morro da Conceição, em 25 de maio; Ilha de Deus em 30 de maio e Jardim São Paulo em 1° de junho, sempre às 16h. No dia 31 de maio, é a vez da Colônia Penal Feminina do Recife. O espetáculo foi contemplado em 2015 com o Prêmio Myriam Muniz, da Funarte. Haverá três apresentações em Libras, nos dias 20, 21 e 27 de maio e uma sessão com audiodescrição no sábado, 27 de maio.

SERVIÇO
Espetáculo Machuca, da Trupe Ensaia Aqui e Acolá
Quando: 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de maio (sextas e sábados, às 20h; domingos, às 19h)
Onde: Teatro Capiba (Rua Professor José dos Anjos, 1100, Mangabeira). Outros locais: 23/05 - Praça do Diário; 24/05 - Praça da Encruzilhada; 25/05 - Morro da Conceição; 30/05 - Ilha de Deus e 01/06 - Jardim São Paulo, sempre às 16h
Ingresso: R$ 20 e R$ 10 (meia), à venda na bilheteria do teatro e pelo site www.sympla.com/machuca
Informações: 3267-4400

Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.