• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Análise Record fez exploração midiática do câncer de Marcelo Rezende Emissora preferiu manter sob sigilo a doença para anunciar como atração dominical

Por: Tiago Barbosa

Publicado em: 15/05/2017 17:08 Atualizado em: 15/05/2017 17:16

Marcelo Rezende foi diagnosticado com um câncer irradiado para o fígado. Foto: Record/Reprodução
Marcelo Rezende foi diagnosticado com um câncer irradiado para o fígado. Foto: Record/Reprodução


A Record TV explorou a informação sobre o estado de saúde do apresentador Marcelo Rezende, do Cidade alerta, como um recurso para alavancar a audiência. A emissora manteve sob sigilo a enfermidade do comunicador durante toda a semana passada, embora a reportagem da casa tivesse entrevistado o profissional e editado um material para exibição durante o Domingo espetacular - quando ele revelou padecer de um câncer no pâncreas irradiado para o fígado.

O canal atendeu um interesse empresarial em detrimento da preocupação sincera do público com diagnóstico e tratamento e do príncípio jornalístico de conferir publicidade imediata e responsável ao assunto dada a popularidade do jornalista, a substituição por Luiz Bacci na apresentação do programa e o universo dos telespectadores.

A predileção pelo segredo ensejou desencontro de notícias sobre o real estado de saúde de Marcelo. Nas primeiras informações conhecidas, na segunda-feira (8), ele teria sido socorrido pelo colega de casa Geraldo Luís após uma suposta dor abdominal. Mas a entrevista exibida na Record evidencia o fato de Marcelo ter tomado conhecimento da doença após uma ampla bateria de exames, buscada por ele ao desconfiar de súbitas mudanças de apetite na rotina. O depoimento no Domingo espetacular - gravado horas antes do início da quimioterapia - chega a ser interrompido pelo próprio colega de emissora, indicativo de conhecimento prévio sobre a condição de Rezende.

A sonegação de informações como estratégia comercial contou - não se sabe se de forma involuntária - com reforço de mensagens misteriosas postadas no Instagram oficial do apresentador. Frases como "Deus em cada momento. E um amigo ao lado" sugeriam a gravidade da doença e contribuíram com a atmosfera de mistério em torno do caso.

Nenhum dado concreto sobre a enfermidade veio a público, no entanto, em uma aparente sintonia entre os comentários nas redes e os comunicados da emissora. A assessoria de imprensa do canal confirmou a alta hospitalar, mas não informou o resultado dos exames. O apelo à fé - um dos apoios buscado pelo apresentador revelado na entrevista exibida no Domingo - surgiu novamente sob outra postagem de internet: "Que a glória de Deus recaia sobre este filho".

As chamadas sobre os destaques do Domingo espetacular, veiculadas na sexta-feira, divulgaram a entrevista com o apresentador e confirmaram o objetivo da emissora de explorá-lo como atração dominical. A revelação de conteúdos impactantes através de depoimentos amplamente anunciados é um mecanismo comum à televisão e constitui uma das táticas legítimas de valorização da própria grade e dos programas produzidos. A veiculação de relatos políticos bombásticos ou pronunciamentos inéditos - ou mesmo a manifestação pública após período prolongado de silêncio e reclusão - projeta a imagem do canal como meio confiável às fontes.

Mas a situação é distinta no tocante a Marcelo Rezende porque o apresentador é funcionário da emissora - ou seja, está submetido a exigências contratuais e teria menos liberdade para escolher em qual espaço detalhar a notícia. A retenção de informações sobre o estado de saúde se aproximou mais de um golpe pela audiência - tática comercial - e menos da vontade de caprichar no material do anúncio.

A estratégia surtiu efeito: o programa conseguiu a maior marca no Ibope desde o rompimento com as operadoras de TV paga. A ansiedade dos fãs e dos telespectadores, no entanto, exigia do canal priorizar a publicidade da informação, antes, em vez de tratar a doença como produto de um show para exibição em horário nobre.

Veja a íntegra da entrevista no site da Record

Moderação
Circulou na mídia a notícia sobre uma possível proibição pela da utilização da entrevista em programas da casa. A assessoria de imprensa do canal negou o veto. A entrevista de 21 minutos deve ir ao ar novamente no Cidade alerta.

Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.