• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Cinema Alien: Covenant tenta resgatar clima de horror da franquia mas decepciona no roteiro História rasa e cenas de terror pouco inspiradas enfraquecem o novo capítulo da saga

Por: Breno Pessoa

Publicado em: 10/05/2017 13:21 Atualizado em: 10/05/2017 13:32

Daniels (Katherine Waterston) é protagonista do novo Alien. Foto: Fox Films/Divulgação
Daniels (Katherine Waterston) é protagonista do novo Alien. Foto: Fox Films/Divulgação

Resgatar para o cinema uma franquia consagrada costuma ser tarefa ingrata. A simples ideia de reviver um sucesso pode ser tachada de preguiçosa, e as comparações com os predecessores são inevitáveis. É nesse território arriscado que Alien: Covenant, novo título da série iniciada em 1979, chega aos cinemas em nove salas, com pré-estreia nesta quarta-feira e exibição especial de Alien: O oitavo passageiro, no Cinemark, às 18h.

Confira o horário dos filmes em cartaz no Divirta-se 


O novo capítulo da saga não é diretamente ligado aos quatro filmes originais estrelados por Sigourney Weaver até 1997. É sequência de Prometheus (2012), spin-off que se passa no mesmo universo de Alien e é ambientado dez anos antes dos acontecimentos do primeiro longa. Enquanto no recente prelúdio o diretor Ridley Scott se mostrou reticente quanto a realizar uma história estritamente ligada aos assustadores alienígenas, Covenant se entrega ao horror proporcionado pelas famosas criaturas.

Ainda assim o novo Alien é um produto indeciso, que tenta resgatar os elementos clássicos da franquia, mas sem deixar de lado a trama estabelecida em Prometheus. O filme começa com a tripulação da nave Covenant enfrentando baixas durante um acidente no meio do percurso para o distante Origae-6. Após o percalço, os tripulantes avistam um outro planeta, muito mais próximo e que também parece ideal para o plano de colonização almejado pela missão. Chegando no território desconhecido, após um momento inicial de calmaria, a equipe descobre que o local é habitado por indesejáveis monstros.

O principal problema de Alien: Covenant reside no roteiro. A decisão do capitão Oram (Billy Crudup) de alterar o destino da missão para um planeta desconhecido, colocando em risco a vida de mais de dois mil passageiros, é injustificada. Ainda mais considerando que o destino da missão, Origae-6, foi escolhido após série de estudos e exaustivo treino da tripulação. A situação de perigo não surge como algo natural, mas por pura conveniência dos roteiristas.

Uma das promessas de Ridley Scott, diretor do primeiro Alien, filme que o lançou ao estrelato, era resgatar o clima de horror que marcou a série original. E, de fato, o terror atravessa boa parte do novo capítulo. O que não significa boa construção da atmosfera. Sem a claustrofobia do primeiro ou a imprevisibilidade e dinamismo de Aliens: O resgate (1986), Covenant apela à obviedade e sanguinolência, quase flertando com o subgênero slasher, com direito até a cena de ataque em pleno banheiro, enquanto um casal toma banho.

Restam cenas plasticamente bonitas, boa trilha sonora (original do filme Alien) e protagonistas interessantes, mas subaproveitados, com destaque para Daniels (Katherine Waterston), personagem com potencial para ser uma nova Ellen Ripley (Sigourney Weaver), mas mal desenvolvida.


[O tempo de Alien

2089 - Prometheus

Embora seja considerado um spin-off da série, Prometheus é intrinsecamente ligado ao universo original da franquia por mostrar o alienígena Space Jockey, que aparece pela primeira vez em Alien: O oitavo passageiro (1979). Ambicioso, o novo longa expande a mitologia da série e insere carga simbólica com hipóteses sobre a origem da raça humana.

2099 - Alien: Covenant
Único sobrevivente da tripulação da Prometheus, o androide David (Michael Fassbender) passa dez anos amadurecendo seu plano de se vingar contra os humanos. Faz inúmeros testes e estudos sobre a as criaturas que poderão dizimar a humanidade e aguarda chance de sair do planeta onde está isolado.

2122 - Alien: O oitavo passageiro
Décadas após fatos de Alien: Covenant, tripulação espacial recebe pedido de socorro de outra nave. Um dos oficiais é atacado. Após a aparente recuperação, o tripulante é surpreendido com um alienígena que irrompe seu peito e faz novas vítimas.

2179 - Aliens: O resgate e Alien 3
Após sobreviver às investidas do 8º passageiro da Nostromo, Ripley foge e entra em uma câmara de hibernação, chegando à Terra 57 anos depois. Ela descobre que a área onde a nave entrou em contato com o alienígena é agora habitado por inúmeras famílias em uma nova colônia.

2379 - Alien: A ressureição

Ripley entra em risco de novo, depois da passagem inesperada por um planeta prisão em Alien 3. Descobre que, depois de morta, foi clonada por cientistas que pretendiam incubar rainha de aliens, para formar exército de criaturas. Tem o DNA combinado com o ET, tornando-se versão poderosa.

Acompanhe o Viver no Facebook:





Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.