• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Justiça BBB 17: Emilly depõe sobre agressão e mulheres defendem Marcos em frente à delegacia A vencedora prestou esclarecimentos na manhã desta segunda-feira

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Por: Estado de Minas

Publicado em: 17/04/2017 12:00 Atualizado em: 17/04/2017 20:54

Emilly chegou ao local escoltada por seguranças. Foto: Twitter/Reprodução
Emilly chegou ao local escoltada por seguranças. Foto: Twitter/Reprodução

A vencedora do BBB 17, Emilly Araújo, compareceu à Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Jacarépaguá (Deam) de Jacarépaguá, no Rio de Janeiro, na manhã desta segunda-feira (17), para prestar esclarecimentos sobre o inquérito que apura se Marcos a agrediu durante o reality. "Queremos esclarecer todos os fatos que vimos pela TV e, para que isso aconteça, o depoimento dela é fundamental", explicou a diretora da Divisão de Atendimento à Mulher da Polícia Civil, delegada Márcia Noeli. 

A ex-BBB chegou à delegacia escoltada por seguranças e ao lado de sua irmã gêmea, Mayla, por volta das 10h. No local, algumas fãs foram prestar solidariedade à gaúcha com cartazes de apoio com frases como "Emilly, você não está só". No entanto, outras mulheres protestavam contra a expulsão do cirurgião. Uma delas segurava cartaz com os dizeres "Como o Marcos disse: não deixe ninguém se meter nas nossas vidas!". 

Em entrevista ao jornal Extra, duas delas se mostraram indignadas com a expulsão do candidato e defenderam o médico. "Acho que não foi uma agressão intencional. Foi uma discussão de casal e não foi uma coisa proposital. Não acho que deveriam meter a polícia no meio", disse Stefania Freitas. "Ele não agrediu ela. Aquilo foi um momento, eles tinham acabado de beber. Aquilo não é caso de polícia. Acho que eles deveriam conversar", afirmou Jacy Oliveira ao periódico carioca.  

Após a repercussão de uma briga do casal, o médico Marcos Harter foi expulso do programa poucos dias antes da final. Ele esteve na delegacia na última quarta-feira (12) para prestar depoimento. No dia seguinte, declarou estar surpreso e alegou que nunca teve a intenção de machucar a namorada. "Como todo casal, passamos por momentos de alegria, ansiedade, euforia e tensão. Jamais tive a intenção de machucar física ou emocionalmente uma pessoa pela qual nutri tanto carinho e afeto", escreveu.

A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher apura se houve lesão corporal quando o médico discutiu com a estudante dentro da casa. Caso comprovado que houve violência doméstica, Marcos pode ficar até três anos preso. Denúncias de violência contra a mulher devem ser feitas através do telefone 180.

Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.