• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Machismo David Schwimmer, de Friends, faz série de vídeos contra assédio sexual São seis capítulos retratando situações cotidianas de violência contra a mulher com atores de Hollywood

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 12/04/2017 11:49 Atualizado em:

David Schwimmer acredita que ver casos reais de assédio vai encorajar as mulheres a denunciar os casos. Foto: YouTube/Reprodução
David Schwimmer acredita que ver casos reais de assédio vai encorajar as mulheres a denunciar os casos. Foto: YouTube/Reprodução

O ator David Schwimmer, conhecido pelo personagem Ross na sitcom Friends, produziu uma série de vídeos para combater o assédio sexual contra mulheres. Intitulada #ThatsHarassment ("Isso é assédio", em tradução livre), o material é co-produzido pelo diretor israelense Sigal Avin e retrata situações cotidianas de violência de gênero enfrentadas pelas mulheres como a intimidação em ambiente de trabalho ou em uma consulta médica.

Confira os horários dos filmes em cartaz no Divirta-se

A série de seis vídeos conta com famoso atores de Hollywood, como Cynthia Nixon (Sex and the city), Emmy Rossum (Shameless), Michael Kelly (House of cards) e o próprio Schwimmer. Ele interpreta um chefe que pede a ajuda de uma funcionária e em seguida a beija no escritório, enquanto estão sozinhos. Não há, nos vídeos, nenhum tipo de violência física ou cenas com confrontos, apenas intimidação por parte do agressor.

"Eu percebi que realmente gostaria de ver como o assédio sexual se parecem vez de apenas ouvir falar sobre isso o tempo todo. E não há nada sobre isso, tudo é muito violento ou irreal, mas não há nada que mostra a 'área cinza' no assédio sexual", disse Avian à revista Cosmopolitan. Os vídeos são intitulados de acordo com os personagens: O chefe, O ator, O político, O colega de trabalho, O médico e O fotógrafo.

David Schwimmer acredita que ver casos reais de assédio vai encorajar as mulheres a denunciar os casos. "Todo o propósito disso é encorajar as pessoas e dar a elas a coragem para denunciar casos de assédio sejam elas vítimas, testemunhas ou simplesmente saibam sobre algo. A realidade é que esse tipo de assédio ocorre no ambiente de trabalho, em lugares profissionais. E isso significa que tem a ver com poder. O problema é que as pessoas não se pronunciam se sabem de algo porque têm medo de retaliação", diz ele.

Assista à série de vídeos:



Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.