• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Arte Transformações urbanas do Recife são tema de exposição na Caixa Cultural O Recife Através dos Tempos, do artista visual Terciano Torres, investiga a ocupação humana da área central da capital pernambucana

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 21/03/2017 11:48 Atualizado em: 21/03/2017 21:31

Cada mapa representa um ano da história do município, desde 1537 até 2017, passando por momentos como a ocupação holandesa, a Revolução de 1817 e a passagem do zepelim. Foto: Terciano Torres/Divulgação
Cada mapa representa um ano da história do município, desde 1537 até 2017, passando por momentos como a ocupação holandesa, a Revolução de 1817 e a passagem do zepelim. Foto: Terciano Torres/Divulgação


As transformações pelas quais o Recife passou desde sua fundação foram o objeto dos desenhos a bico de pena feitos pelo designer e artista visual Terciano Torres, cuja mais nova exposição, O Recife através dos tempos, começa hoje na Caixa Cultural Recife. Os mais de 30 painéis colorizados mostram a ocupação humana da área central da capital pernambucana e apresentam tanto monumentos históricos quanto personagens que fizeram a cidade ser como é hoje. A mostra, que tem apoio do Diario de Pernambuco, também lembra os 480 anos da fundação do Recife e marca as comemorações dos 200 anos da Revolução Pernambucana.

Confira o roteiro de exposições no Divirta-se

Cada mapa representa um ano da história do município, desde 1537 até 2017, passando por momentos como a ocupação holandesa, a Revolução de 1817 e a passagem do zepelim. Quando se trata das referências aos séculos 16 e 17, as menções iconográficas aos mapas antigos, com seres mitológicos, dominam os desenhos de Terciano. A mostra também dá espaço aos visitantes ao reservar um local para selfies e estimulá-los a projetar o futuro do Recife. A programação educativa, por sua vez, inclui uma programação formada por palestras, oficinas de desenho e visitas guiadas.

Foto: Shilton Araújo/Esp. DP
Foto: Shilton Araújo/Esp. DP
"É uma evolução documental da memória urbana, sociológica e antropológica do Recife. É uma biografia visual do município, como se uma máquina congelasse o tempo. Estou vendo a história pelo retrovisor. O recifense ainda não pensou no pioneirismo daqui. Recife é a cidade mais bem documentada do país por causa do período holandês. Os pintores Frans Post e Albert Eckhout deixaram um legado que nenhuma outra cidade tem", declarou o artista visual ao Viver durante as celebrações do aniversário do Recife, no dia 12 de março.

O conjunto de painéis desenhados por Terciano permite gerar reflexão em torno das consequências da urbanização sobre a paisagem natural e social do município, com olhar a respeito do aterro para abrigar edifícios e da valorização imobiliária, duas questões merecedoras de atenção até hoje no debate sobre a vida na cidade.

Ao público, será oferecida a possibilidade de contribuir com a exposição ao preencher o "Grande Livro sobre o Recife". O objetivo é criar um ambiente para exercitar as previsões sobre a cidade em relação aos próximos anos. A contemporaneidade também será considerada através da disponibilização de um espaço para os visitantes registrarem selfies. "Gosto do traço proporcionado por esta técnica (desenhos feitos a bico de pena). Isso me faz exercer a paciência, a observação de coisas não vistas por outros olhos", opina Terciano.

SERVIÇO
Exposição O Recife através dos tempos, de Terciano Torres
Quando: abertura hoje, às 19h
Onde: Caixa Cultural - Avenida Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife
Visitação: terça a sábado, das 10h às 20h; domingo, das 10h às 17h - até 4 de junho de 2017
Quanto: gratuito
Informações: 3425-1915

Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.