• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Superação História da refugiada que salvou vidas e nadou nas Olimpíadas vai virar filme Yusra Mardini e sua irmã nadaram por três horas até a Grécia puxando uma embarcação que afundou

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 17/03/2017 10:39 Atualizado em: 17/03/2017 19:29

A trama de superação será dirigida por Stephen Daldry, conhecido por filmes como Billy Elliot e Trash. Foto: The Independent/Getty Images
A trama de superação será dirigida por Stephen Daldry, conhecido por filmes como Billy Elliot e Trash. Foto: The Independent/Getty Images


A história de Yusra Mardini, refugiada da Síria que ganhou manchetes em todo o mundo depois de salvar a vida de 18 pessoas e fez história ao competir nas Olimpíadas do Rio, no ano passado, será contada no cinema. A trama de superação será dirigida por Stephen Daldry, conhecido por filmes como Billy Elliot e Trash, ele se junta com a produtora Working Title para o longa-metragem, que ainda não tem previsão de estreia. As informações são do The Hollywood reporter.

Confira os horários dos filmes em cartaz no Divirta-se

Em agosto de 2015, Yusra e a irmã Sarah resolveram fugir da Síria por conta da guerra. Elas e mais 18 pessoas viajavam em um barco cuja capacidade era de sete passageiros em direção à Grécia quando o motor da embarcação parou de funcionar. As duas, então, nadaram por mais de três horas se revezando para puxar o bote e salvar a vida dos passageiros. Depois do incidente, elas se mudaram para Berlim, na Alemanha, e conheceram um treinador profissional de natação.

Yusra fez parte da primeira delegação de refugiados na história das Olimpíadas e competiu no Rio de Janeiro em 2016. Ela não chegou a ganhar medalhas - ficou na 41ª colocação nas eliminatórias dos 100m borboleta - mas emocionou o mundo ao se dizer muito feliz de estar na competição ao lado de grandes nadadores mesmo tendo perdido.

Eric Fellner, um dos sócios da produtora à frente do filme, afirmou que é raro encontrar uma história "cuja verdade a torna emocionalmente mais poderosa do que a ficção jamais será". "A jornada física, espiritual e geográfica que Yusra e Sarah fizeram é bem inacreditável. Através do poder do filme nos sentimos privilegiados e entusiasmados em compartilhar uma história tão importante e incrível sobre como vidas podem ser mudadas por meio de sonhos, ambição e desejo", disse ele ao The Hollywood reporter.

Conheça a história da atleta:



Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.