• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Reforma Wagner Moura critica reforma previdenciária de Temer em animação didática. Assista Vídeo aborda o contexto em que o pacote de novas medidas tramita no Congresso Nacional e fala sobre as consequências da reforma para os brasileiros

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/03/2017 10:14 Atualizado em: 13/03/2017 22:23

O vídeo, disponível em várias redes sociais como o YouTube e o Facebook, elucida o contexto em que o pacote de novas medidas tramita no Congresso Nacional. Foto: YouTube/Reprodução
O vídeo, disponível em várias redes sociais como o YouTube e o Facebook, elucida o contexto em que o pacote de novas medidas tramita no Congresso Nacional. Foto: YouTube/Reprodução


O ator Wagner Moura opinou sobre os termos da reforma previdenciária proposta por Michel Temer em uma animação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e da Mídia Ninja. O vídeo, disponível em várias redes sociais como o YouTube e o Facebook, aborda o contexto em que o pacote de novas medidas tramita no Congresso Nacional e fala sobre as consequências da reforma para os trabalhadores brasileiros.

"O governo Temer enviou para o Congresso um projeto que interessa apenas aos donos do dinheiro no país, que ataca duramente os trabalhadores. Eles querem acabar com o direito à aposentadoria de milhões de brasileiros e brasileiras. É melhor entender essa reforma agora porque em breve ela pode custar muito caro", começa dizendo Moura. Ele defende que a proposta de estabelecer a idade mínima para a aposentadoria como 65 anos é inviável, já que em vários lugares do país essa sequer é a expectativa de vida da população.

"Essa proposta vem de Michel Temer, que se aposentou aos 55 anos de idade ganhando mais de R$ 30 mil. E essa proposta pode ser aprovada por deputados e senadores que também se aposentaram cedo e cheios de privilégios", diz ele. Outro ponto abordado por Wagner Moura é a injustiça na equiparação da idade mínima entre homens e mulheres uma vez que as contribuintes costumam executar uma jornada dupla de trabalho (nas empresas e em casa, "cuidando dos filhos e das tarefas domésticas") por conta do patriarcalismo. Ao fim do vídeo, o ator pede que as pessoas liguem e mandem mensagens para deputados e senadores para tentar barrar a reforma.

Assista ao vídeo:

[VIDEO1]

Acompanhe o Viver no Facebook:

[VIDEO2]


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.