• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Cinema Documentário inédito sobre os Beatles será exibido no Recife The Beatles: Eight days a week - The touring years, estreia em fevereiro e já tem ingressos à venda

Por: Breno Pessoa

Publicado em: 23/01/2017 18:40 Atualizado em: 23/01/2017 17:17

Produção resgata imagens raras e inéditas de shows e entrevistas da banda. Foto: Apple Corps/Divulgação
Produção resgata imagens raras e inéditas de shows e entrevistas da banda. Foto: Apple Corps/Divulgação

The Beatles é a banda fora de atividade que mais rende lançamentos. Décadas após a dissolução (1970) e, ainda, a morte de John Lennon (1980) e George Harrison, o quarteto de Liverpool continua sendo revisitado em obras diversas. A mais recente produção relacionada ao grupo é o documentário The Beatles: Eight days a week - The touring years, sobre o breve período de turnês dos músicos, entre 1962 e 1966. Lançado em 2016, o filme será exibido pela primeira vez nos cinemas brasileiros. No Recife, o longa será exibido em sessões no UCI Kinoplex de Luxe, entre os dias 2 e 5 de fevereiro, às 20h. Os ingresso custam R$ 40 e R$ 20 (meia) e já podem ser comprados nas bilheterias ou no site Ingresso.com.

Dirigido por Ron Howard Oscar Ron Howard (Apollo 13), o documentário cobre a primeira fase da carreira dos músicos, nos quatro anos em que realizaram apresentações ao vivo. A decisão de abandonar os palcos se deu pela crescente complexidade das músicas, difíceis ou inviáveis de serem reproduzidas fora de estúdio, e pelo barulho ensurdecedor dos fãs durante os shows. Lennon, McCartney, Harrison e Starr diziam ser difícil tocar sem ouvir o próprio som e acreditavam que a apreciação das músicas também seria comprometida com os gritos do público.

O filme não traz grandes novidades ao universo beatle, exceto pelos depoimentos atuais dos remanescentes da banda, Paul McCartney e Ringo Starr, além de pessoas ligadas aos músicos e fãs. A produção resgata imagens antigas, algumas raras e inéditas, mas não traz à tona qualquer informação inédita. Mas nem por isso o filme é dispensável: cheio de nostalgia, o documentário é um bom lembrete sobre como a banda conseguiu, em tão pouco tempo de existência, deixar uma marca tão intensa na música e na cultura pop.

Confira o trailer: 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.