• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Literatura Academia Pernambucana de Letras divulga vencedores do Concurso Literário 2016 Cerimônia de entrega dos prêmios será no próximo dia 26, durante a comemoração dos 116 anos da instituição

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 18/01/2017 14:58 Atualizado em:

Os premiados foram divididos em cinco categorias:  ensaio, poesia, literatura infantil, ficção, história dos municípios pernambucanos e escritora pernambucana. Foto: Secretaria de Cultura de PE/Divulgação
Os premiados foram divididos em cinco categorias: ensaio, poesia, literatura infantil, ficção, história dos municípios pernambucanos e escritora pernambucana. Foto: Secretaria de Cultura de PE/Divulgação


A Academia Pernambucana de Letras (APL) divulgou, nesta quarta-feira (18), os vencedores do Concurso Literário 2016. A seleção é dividida em seis categorias: ensaio, poesia, literatura infantil, ficção, história dos municípios pernambucanos e escritora pernambucana. A entrega dos prêmios deve ser realizada no próximo dia 26, durante a cerimônia de comemoração dos 116 anos da instituição.

O vencedor do Prêmio Antônio de Brito Alves, da categoria Ensaio, foi o escritor Flávio Henrique Albert Brayner, com o livro Fundamentos da educação: Crise e reconstrução. Paulo Camelo de Andrade Almeida e Miriam Teresinha Fonseca de Carvalho receberam menção honrosa na categoria, com os livros Dicionário do falar pernambucano e A brasilidade na pintura de César Romero, respectivamente. Já em Poesia, no Prêmio Edmir Domingues, o vencedor foi José Luiz de Almeida Melo, com Livro dos sonetos, dos primeiros aos penúltimos. As menções honrosas foram para Artíficio, de Yuri Pires Rodrigues, e Círculo amoroso e outros poemas, de Paulo Caldas.

Arnaud Soares Mattoso foi o contemplado na categoria Literatura Infantil, com Pequeno Ruby, e Camilla Nicodemos Inojosa levou a menção honrosa, com Lápis mágico. O Prêmio Vânia Souto Carvalho, de Ficção, ficou com Andréa Araújo Gomes, por A sutileza do sangue. Dois nós na gravata, de Rômulo César Lapenda, ficou com a menção honrosa da categoria. O Adros, pátios e praças públicas de Fernando Guerra de Souza levou o prêmio de melhor livro de História dos Municípios Pernambucanos e Melhor Escritora Pernambucana ficou com Enaide de Alencar Vidal Pires, por Retalhos de vida costurados de saudade. A menção honrosa da categoria foi para Kelma Fabíola Beltrão de Souza, autora de Gilberto Freyre e Anísio Teixeira: uma educação regionalista no Recife.

Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.