• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Televisão Leda Nagle, do Sem censura, se diz perplexa com demissão da TV Brasil Apresentadora disse ter faltado caráter à direção da emissora pública

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 08/12/2016 15:17 Atualizado em: 08/12/2016 15:26

Leda Nagle apresentou o programa por 21 anos. TV Brasil/Reprodução
Leda Nagle apresentou o programa por 21 anos. TV Brasil/Reprodução

A jornalista e apresentadora do programa de entrevistas Sem censura, até então exibido na TV Brasil, usou as redes sociais para mostrar inconformismo com a forma como foi demitida da emissora. À frente da atração por 21 anos e com 40 anos de experiência na televisão, ela disse ter sido enganada pela direção do canal com uma promessa de renovação do contrato.

"Há dois meses, procurei a direção da EBC para saber se iriam renovar meu contrato que terminou em 5 de novembro. A resposta foi: sim. Fizemos três reuniões falando ao assunto, cumpri as regras burocráticas e continuei no a, mesmo sem contrato. Tanto o presidente da EBC como seus subordinados também agiam como se tudo estivesse certo. 'O contrato está acabando de ser feito pelo jurídico', diziam. Ontem (quarta-feira), me convocaram para uma reunião e me apresentaram um aditivo. Portanto, fui demitida pelo Larte Rímoli", escreveu a jornalista. A alegação para o corte teria sido "falta de dinheiro".

Leda Nagle fez questão de externar o quanto ficou triste com a decisão da empresa pública. "Não posso dizer sinceramente que assimilei ou degluti. (…) Mais do que triste, fiquei perplexa com a falta de caráter em dar a palavra de que estava tudo certo, que o contrato seria renovado, deixar a pessoa trabalhar normalmente, sem contrato, acreditanto na palavra empenhada e aparecer com advogado, um aditivo e esta desculpa esfarrapada da falta de dinheiro", afirmou.

Nas redes sociais, o filho da apresentadora se solidarizou com a mãe. "Essa é minha heroína, mulher batalhadora, me criou praticamente sozinha, mesmo trabalhando todos os dias sem descanso. Tamo juntos, Ledinha". Em entrevista ao Ego, Leda disse estar "procurando emprego". Em nota enviada ao Viver na quarta-feira, a EBC limitou-se a definir a situação de Leda como "um contrato sob análise" e negou a demissão.

A saída de uma das apresentadoras mais famosas da televisão brasileira dá continuidade a uma série de reformulações iniciadas depois da queda de Dilma Rousseff da presidência. Contratos com intelectuais e jornalistas críticos ao processo de impeachment, como Emir Sader e Luis Nassif, foram rompidos pela nova administração.

O presidente da EBC, Laerte Rímoli, foi nomeado por Michel Temer para o cargo depois de controvertidos embates jurídicos. A primeira indicação esbarrou em uma decisão do Supremo Tribunal Federal porque o ocupante por direito do cargo de diretor-presidente, Ricardo Melo, tinha um mandado de quatro anos a cumprir. Mas o próprio ministro Dias Toffoli, responsável pela liminar, reverteu a decisão depois de o presidente em exercício do Brasil, Rodrigo Maia (presidente da Câmara dos Deputados), modificar o estatuto da EBC por meio de uma medida provisória.

Veja nota da apresentadora:


Acompanhe o Viver no Facebook


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.