• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Cinema Dez filmes de suspense na Netflix para prender o fôlego Não tem programa para o final de semana? A gente te ajuda a navegar as profundezas da Netflix

Por: Eduarda Fernandes

Publicado em: 29/10/2016 13:30 Atualizado em: 29/10/2016 18:28

Psicose, lançado em 1960, é um dos maiores clássicos do gênero. Foto: Reprodução
Psicose, lançado em 1960, é um dos maiores clássicos do gênero. Foto: Reprodução


O dia das bruxas está chegando e a gente separou alguns dos melhores filmes de suspense para animar  o seu final de semana. Todos estão disponíveis na Netflix, então não tem desculpa - pode preparar a pipoca!

Leia também: 20 séries na Netflix para fazer maratona em um final de semana

Psicose (1960)
Nenhuma lista de suspense que se preze poderia deixar um dos maiores clássicos do gênero de fora. Dirigido por Alfred Hitchcock, Psicose conta a história de Marion Crane, uma secretária que rouba dinheiro de seu chefe e que, durante a fuga, encontra refúgio em um hotel de beira de estrada, administrado pelo jovem Norman Bates e sua mãe. Nos anos 1960, Hitchcock já estava consagrado como o %u201Cmestre do suspense%u201D, e Psicose ajudou a fomentar o legado do britânico. Indispensável para qualquer fã de cinema, o filme teve quatro indicações ao Oscar, incluindo o de melhor atriz coadjuvante para Janet Leigh, intérprete de Marion.



Louca obsessão (1990)
Tão indispensável quanto a presença de Hitchock nesta lista é a de Stephen King. Autor de mais de 55 livros, King já viu muitas de suas histórias adaptadas para o cinema e televisão. Em Louca obsessão, um famoso escritor sofre um acidente de carro em uma pequena cidade do interior e é encontrado por uma fã, vivida por Kathy Bates (American Horror Story), que o leva para casa e cuida de seus ferimentos. O longa, um dos melhores no gênero thriller psicológico, conta ainda com Lauren Bacall (À beira do abismo) no elenco. Bates levou o Oscar de melhor atriz pelo papel de Annie Wilkes.



A pele que habito (2011)
Almodóvar prefere o drama familiar e o constrói como ninguém, mas sua tentativa de suspense resultou em um das melhores obras da carreira. Em A pele que habito, Antonio Banderas interpreta Robert, um cirurgião plástico que desenvolve uma espécie de pele sintética que suporta qualquer tipo de dano. O mistério do longa se concentra na mulher que ele usa como cobaia de seus experimentos e, por meio de flashbacks, o público vai lentamente montando o quebra-cabeça da relação dos dois.



Ilha do medo (2010)
Em 1954, o detetive Teddy Daniels (Leonardo DiCaprio) é enviado para investigar o sumiço de uma paciente no hospital psiquiátrico Ashecliffe, que fica isolado na ilha Shutter. Após um temporal, todo o tipo de comunicação e transporte é cortado na ilha, e Teddy começa a desconfiar que talvez ele não tenha sido trazido para o local pelos motivos que imagina. Ilha do medo é um dos filmes mais bem construídos de Martin Scorsese e o tipo de thriller que merece ser visto várias vezes.



Carrie, a estranha (1976)
Carrie é uma garota tímida que se sofre bullying dos colegas e é pressionada pela mãe religiosa. No baile de formatura, ela é humilhada na frente de toda a escola e com raiva, descobre que tem poderes que podem ajudá-la a se vingar. Mais um clássico de Stephen King, Carrie tem direção de Brian De Palma e conta com John Travolta e a então iniciante Sissy Spacek no elenco.

Dormindo com o inimigo
(1991)
Em 1991, Julia Roberts já estava no caminho para ser uma das queridinhas de Hollywood. Um ano antes havia interpretado um de seus papéis mais memoráveis, o da prostituta Vivian de Uma linda mulher. Em Dormindo com o inimigo, Roberts tentou se desvencilhar da imagem de mocinha de comédia romântica com Laura, uma mulher que finge sua própria morte para escapar de um marido abusivo. O longa é baseado no livro de Nancy Price, lançado em 1986.

O amigo oculto (2005) 
A história é simples e não de todo original: um viúvo se muda para uma casa no campo a fim de dar uma vida melhor para sua filha. Na casa, a filha %u201Cconhece%u201D um amigo imaginário, que lhe manda mensagens e faz a garota agir agressivamente. Apesar do roteiro aparentemente fraco, O amigo oculto conta com ótimas performances de Robert De Niro e da então pequena Dakota Fanning.

O convite (2005) 
Após dois anos de separação, Will (Logan Marshall-Green) é convidado pela ex-mulher para um jantar na casa onde eles moravam. Ele, no entanto, acredita que as intenções da ex (e do novo marido dela) não são de todo inocentes. O que se segue é um misto perfeito entre suspeita e paranóia, e o longa não deixa a desejar ao criar uma tensão que só aumenta no desenrolar da história.

O despertar (2011)
Florence é especialista em expôr fraudes sobrenaturais. Mas, ao ser chamada para desvendar o mistério de uma criança desaparecida em um internato, ela acaba descobrindo que existem, sim, coisas que ela não pode explicar ou compreender. O longa foi produzido pela BBC para a televisão e conta com Dominic West (The affair) e Imelda Staunton (Harry Potter) no elenco.



Veludo azul (1986)
Chamado pelo próprio diretor de %u201Cum dos filmes mais polêmicos do cinema%u201D, Veludo azul conta a história do jovem Jeffrey (interpretado por Kyle MachLachlan, o detetive Dale Cooper de Twin Peaks, também dirigido por David Lynch), que encontra uma orelha humana no meio de um campo e decide investigar o caso. Durante a busca, ele encontra Dorothy (Isabella Rosselini) e um mundo que ele não consegue entender. O longa rendeu a Lynch a terceira de suas quatro indicações ao Oscar.
















Acompanhe o Viver no Facebook:


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.