• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Entretenimento Wagner Moura recusa convite para viver Sérgio Moro em série sobre a Lava-Jato Produção será exibida pela Netflix com direção de José Padilha e está tendo dificuldades para encontrar um protagonista

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 17/10/2016 10:15 Atualizado em: 19/10/2016 12:30

Wagner Moura como Pablo Escobar na série Narcos, produzida pela Netflix, e o juiz Sérgio Moro, à direita. Foto: Montagem/DP
Wagner Moura como Pablo Escobar na série Narcos, produzida pela Netflix, e o juiz Sérgio Moro, à direita. Foto: Montagem/DP


ATUALIZAÇÃO: José Padilha negou ter feito o convite a Wagner Moura

O ator Wagner Moura, conhecido por viver papéis marcantes no cinema e em seriados, se recusou a fazer o papel do juiz Sérgio Moro na produção que a Netflix está criando sobre a operação Lava-Jato. O convite teria sido feito pelo diretor José Padilha, que é parceiro de Wagner em outras obras, mas a resposta do ator foi negativa, é o que relata o colunista Lauro Jardim, do Jornal O Globo.

A série sobre a Lava-Jato vai relatar os esquemas de corrupção na política brasileira que vêm sendo denunciados nos últimos meses. A ideia para o projeto foi do diretor José Padilha, conhecido por obras como Robocop, Narcos e Tropa de Elite. Nas duas últimas, Wagner atuou como ator principal, interpretando o traficando Pablo Escobar, em Narcos, e o Capitão Nascimento, em Tropa de Elite.

Acostumado a protagonizar cenas que se relacionam ao universo de crimes e corrupção e em ambos os casos em parceria com Padilha, a recusa de Wagner para viver Sérgio Moro não deixa de ser uma surpresa. Inclusive a produção está tendo certa dificuldade para preencher o papel, pois Rodrigo Lombardi que foi a primeira opção para interpretar o juiz precisou recusar o convite por incompatibilidade de horários.

De acordo com a Netflix, a série tem previsão de estreia para 2017 e será escrita por Elena Soares (Xingu e Casa de Areia). Quando José Padilha anunciou a série afirmou que ela "vai narrar a operação policial em si e mostrar detalhes sobre o maior esquema de corrupção já visto no Brasil".

Acompanhe o Viver no Facebook:


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.