• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Televisão The Voice Brasil: O pernambucano que batalhou um ano para voltar ao programa e brilhar Luan Douglas, de Palmares, passou para a próxima fase da competição e escolheu o time de Michel Teló

Por: Marina Simões - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/10/2016 21:34 Atualizado em: 13/10/2016 21:41

Pernambucano participou das audições e conseguiu que Michel Teló, Carlinhos Brown, Claudia Leitte e Lulu Santos virassem as cadeiras para ele. Foto: Globo/Divulgação
Pernambucano participou das audições e conseguiu que Michel Teló, Carlinhos Brown, Claudia Leitte e Lulu Santos virassem as cadeiras para ele. Foto: Globo/Divulgação


Um ano após de ter passado pelo The voice Brasil e levado um não, o pernambucano Luan Douglas, 18 anos, voltou a participar das audições às cegas nesta quinta temporada, na semana passada, e saiu vitorioso. "Existe uma grande diferença entre voltar para casa chorando e voltar sorrindo", disse em entrevista ao Viver. Dessa vez, ele cantou Pra você, da banda de reggae Onze20, e conseguiu com que todos os jurados virassem a cadeira para ele. "Aprendi muita coisa. E principalmente a controlar o nervosismo. Os procedimentos foram os mesmos e isso me tranquilizou", disse. 

Confira o roteiro de shows no Divirta-se

Nascido em Ribeirão e criado em Palmares, na Mata Sul pernambucana, a relação de Luan com a música começou ainda na barriga da mãe. Ele é filho de Joelma Lopes e Junior Arraso, líderes da Banda Arraso -  grupo com 22 anos de carreira.  A banda baile faz em média 15 apresentações por mês em festas de prefeitura, aniversários e casamentos, bares e restaurantes. Ainda criança, Luan Douglas começou a acompanhar os pais nas viagens por municípios como Catende, Xexéu, Ribeirão e Maraial.

Ele aprendeu a tocar teclado, guitarra, baixo e sanfona. Mas o primeiro instrumento foi a bateria, que ganhou aos seis anos. "Achava que ia ser baterista. Tocava na bateria de Riquelme quando a gente abria show para o Aviões do Forró. Ele foi uma grande inspiração", relembra. A estreia no palco foi aos oito anos, para um público de 20 mil pessoas, em Palmares. "Lembro que meu pai me ouviu cantando no banheiro, e quando sai ele perguntou se eu queria cantar no show. No início, tive vergonha de assumir que era isso que eu queria para minha vida".

No ano passado, Luan teve a primeira oportunidade de aparecer em rede nacional. Na época, aos 17 anos, ele escolheu Hoje eu tô terrível, de Cristiano Araújo, mas não conseguiu passar para a fase seguinte. Michel Teló elogiou a performance e incentivou o garoto a continuar tentando e voltar no ano seguinte. Foi exatamente o que aconteceu.

Relembre a apresentação de Luan Douglas no The voice Brasil 2015:



Neste entremeio, muitas mudanças ocorreram na vida do pernambucano. "Minha vida mudou 100% depois do The voice". As  redes sociais do artista bombaram. Antes, ele tinha pouco mais de 500 seguidores no @luandouglasoficial. Após a aparição no reality, ganhou uma enxurrada de seguidores, e contabiliza mais de 35 mil fãs no Instagram.

Assim que voltou para o Recife, o cantor assinou contrato com o empresário Patrício CDs e assumiu os vocais da banda Vilões do Forró. O projeto foi repaginado, ganhou ônibus adesivado, incorporou hits do momento ao repertório e deu start na agenda de apresentações em Pernambuco. "Nosso show abrange vários estilos. O foco é no forró, mas há espaço para brega, com Reginaldo Rossi, e ainda o sertanejo com Marília Mendonça e outros artistas", explica Luan. Além de canções autorais, ele explora hits de Wesley Safadão, Gabriel Diniz e Aviões do Forró.

A expectativa de Luan é crescer durante a competição. Ele faz questão de olhar os comentários nas redes sociais e acredita que toda crítica, desde que seja construtiva, será bem-vinda. No decorrer do programa, Luan planeja ir preparando paralelamente um material inédito, que deve ser lançado no próximo ano. E 2017 já vai começar com uma novidade. Luan vai ser pai. A namorada Larissa, de 17 anos, está grávida de cinco meses. Os dois estão juntos há 5 anos.

A expectativa do pernambucano de 18 anos é crescer na competição. Foto: Globo/Divulgação
A expectativa do pernambucano de 18 anos é crescer na competição. Foto: Globo/Divulgação
Entrevista // Luan Douglas
Primeiro show
Nossos pais já vieram nos preparando desde cedo. Não fomos forçados, mas nascemos com essa tendência musical. Eu já sabia que esse era o caminho a seguir. Cheguei a trabalhar na Caixa Econômica, como jovem aprendiz, mas essa história de acordar cedo e trabalhar em horário comercial não é pra mim (risos). Meu primeiro show foi aos oito anos, cantei para 20 mil pessoas em Palmares, cidade que cresci e moro até hoje. Lembro que meu pai me ouviu cantando no banheiro, e quando sai, ele perguntou se eu queria cantar no show. No início, tive vergonha de assumir que era isso que eu queria para minha vida.

Referência artística
Meus pais. Eles são minha principal referência. Costumo dizer que Deus não dá o que você quer. Ele te mostra a oportunidade para você ir atrás daquilo que quer. Meus pais não me ensinaram. Eles me mostraram, através das situações, e deixaram eu decidir se iria entrar nessa meio ou não. Quando olho o passado, vejo que errei em alguns momentos, mas eles estavam sempre ali para me colocar para cima.

Críticas
A partir do momento que se passa a trabalhar com o público, é preciso saber lidar com qualquer situação difícil. Quem vive da música não pode desistir dos seus sonhos. Recebi aquele não, mas segui em frente, e agora estou aqui. E se der errado? Vou tentar de novo.

Estilo musical

Minha música é o forró. O ritmo ganhou uma pegada mais romântica e cada vez mais se aproxima do sertanejo. O Safadão criou essa mistura, chamada forrónejo. E eu levanto essa bandeira também. Nos shows, posso ir do forró ao sertanejo e ter a aceitação do público do Recife ou de Goiânia. É um estilo nacional. 



Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.