• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
CINEMA Aquarius já é a maior bilheteria da história do cinema pernambucano Arrecadação do longa de Kleber Mendonça Filho já superou os custos da produção

Por: Eduarda Fernandes

Publicado em: 21/09/2016 19:12 Atualizado em: 24/09/2016 19:49

Filme é protagonizado por Sonia Braga. Foto: Divulgação
Filme é protagonizado por Sonia Braga. Foto: Divulgação

Aquarius, segundo longa-metragem de Kleber Mendonça Filho, é a maior bilheteria da história do cinema pernambucano. O filme, que entra na sua quarta semana de exibição, já teve mais de 250 mil espectadores, arrecadando uma bilheteria de cerca de R$ 3,7 milhões. 

Após uma exibição especial no cinema São Luiz, em agosto, Aquarius estreou no dia 1º de setembro em 85 salas no Brasil. No Recife, foram quatro salas na estreia, depois seis. Hoje, Aquarius está em exibição em oito salas na capital pernambucana. O filme teve a segunda maior média de público por sala no fim de semana de estreia e vendeu 55 mil ingressos, perdendo apenas para a produção bíblica Os dez mandamentos. Em comparação com outras obras brasileiras, Que horas ela volta?, de Anna Muylaert, contabilizou 44 mil ingressos no primeiro fim de semana, e Boi Neon, do também pernambucano Gabriel Mascaro, contabilizou 7,1 mil pessoas em janeiro. 

O público de Aquarius superou o do primeiro longa de Kleber Mendonça Filho, O som ao redor, que levou pouco mais de 96 mil pessoas ao cinema em 2012. O Baile perfumado de Lírio Ferreira e Paulo Caldas, lançado em 1996 e considerado o marco inicial da nova era do cinema pernambucano, teve 80 mil espectadores.

Aquarius foi lançado oficilamente em maio, no Festival de Cannes, quando concorreu à Palma de Ouro. Além de receber prêmios em diversos festivais ao redor do mundo, o longa estreia na França no próximo dia 28 com um número de salas equivalente ao do Brasil, e deve chegar aos Estados Unidos mês que vem. Exibição em outros 60 países está confirmada. A estreia no catálogo global da plataforma de streaming Netflix também já está garantida, apesar de ainda não ter data definida. Com a imensa repercussão internacional, o longa era o favorito para representar o Brasil na disputa pelo Oscar, mas acabou perdendo a vaga para Pequeno segredo, de David Schürmann, em uma decisão que gerou polêmica.

Apesar do sucesso internacional, Aquarius é um filme intrinsecamente recifense. Na história, Clara (Sonia Braga) mora de frente para o mar no Aquarius, último prédio de estilo antigo em Boa Viagem, na capital pernambucana. Jornalista aposentada e escritora, viúva com três filhos adultos e dona de um aconchegante apartamento repleto de discos e livros, ela enfrenta as investidas de uma construtora que tem outros planos para aquele terreno: demolir o Aquarius e dar lugar a um novo empreendimento. O prédio utilizado para as filmagens foi o Oceania, na Avenida Boa Viagem. 

Filmes pernambucanos de maiores bilheterias:
Aquarius (Kleber Mendonça Filho, 2016) - 250 mil espectadores 
Amarelo manga (Claudio Assis, 2002) – 130 mil espectadores
Cinema, aspirinas e urubus (Marcelo Gomes, 2005) – 120 mil
Som ao redor (Kleber Mendonça Filho, 2012) – 96 mil
Baile perfumado (Lirio Ferreira e Paulo Caldas, 1996) – 85 mil



 



Acompanhe o Viver no Facebook:

 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.