• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
AMY WINEHOUSE Fundação Amy Winehouse abre casa de reabilitação gratuita para mulheres Amy's Place começa suas atividades nesta segunda-feira

Por: Eduarda Fernandes

Publicado em: 01/08/2016 10:52 Atualizado em: 01/08/2016 11:00

Amy travou uma longa e pública batalha contra o vício em álcool e drogas. Foto: Divulgação
Amy travou uma longa e pública batalha contra o vício em álcool e drogas. Foto: Divulgação


No quinto aniversário da morte da cantora Amy Winehouse, a fundação que leva o nome dela anunciou que abriria uma casa de recuperação em Londres para mulheres com vícios em álcool e em drogas. Amy's Place deve começar suas atividades nesta segunda-feira (1).

De acordo com o jornal britânico The Guardian, a casa terá a capacidade de oferecer abrigo para 16 mulheres que queiram reintegrar a sociedade após suas batalhas com os vícios. Dominic Ruffy, diretor de projetos especiais da fundação, disse que a decisão de abrir o Amy's Place se deu pela falta de casas de recuperação para mulheres em Londres, apesar de pesquisas recentes mostrarem que as mulheres têm mais chance de cair no vício novamente se não tiverem o apoio apropriado.

"Existem seis reabilitações apenas para mulheres, e elas têm uma lista de espera de seis meses, em média", disse Ruffy. O programa oferecido pela casa é completamente gratuito e tem duração de três meses. 

Jane Winehouse, madrasta de Amy e administradora da fundação, disse que "este projeto fará uma enorme diferença para tantas jovens mulheres, possibilitando um ambiente seguro onde elas possam reconstruir suas vidas. Novos começos são difíceis, cheios de desafios, mas no Amy's Place nós daremos as ferramentas e o apoio necessário para torná-los realidade".

Amy Winehouse travou, por anos, uma longa e pública batalha com o álcool e as drogas. Em julho de 2011, aos 27 anos, morreu por ingestão excessiva de bebidas álcoolicas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.