• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Gente McCartney quase abandonou a música após o fim dos Beatles Em entrevista à BBC rádio o cantor disse que teve depressão depois da ruptura

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 24/05/2016 12:32 Atualizado em: 24/05/2016 12:18

McCartney admitiu que as críticas recebidas no início dos Wings eram justas. Foto: Site Oficial/Reprodução
McCartney admitiu que as críticas recebidas no início dos Wings eram justas. Foto: Site Oficial/Reprodução

Paul McCartney começou a beber mais do que o normal e quase abandonou a música após a ruptura dos Beatles em 1970, disse o artista em uma entrevista que a BBC Radio transmitirá no sábado (28). O baixista e cantor do grupo britânico disse que formou a banda Wings quando se cansou da bebida, um ano depois. "Eu estava me afastando dos meus amigos, sem saber se continuaria na música", disse.

"Comecei a beber (...) Foi ótimo no início, então de repente eu não estava mais aproveitando. Não estava funcionando. Eu queria retornar e começar do zero, então acabei formando o Wings", disse.

O grupo, que contava com a participação de sua mulher Linda, começou com apresentações não anunciadas para estudantes. McCartney admitiu que as críticas recebidas no início pelo Wings eram justas, porque sua mulher estava aprendendo a tocar o teclado.

"Para ser justo, não éramos muito bons. Nós éramos terríveis. Nós sabíamos que Linda não conseguia tocar, mas ela aprendeu e, olhando para trás, fico muito feliz por que nós fizemos".

"Eu poderia ter formado um supergrupo, chamar Eric Clapton, Jimmy Page e John Bonham, mas nós progredimos (...), foi muito divertido". McCartney, de 73 anos, disse que ficou feliz de ter feito as pazes com John Lennon antes do assassinato de seu companheiro dos Beatles. Eu fiquei muito grato por nós termos voltado a ficar bem antes da morte dele. Porque teria sido muito difícil de lidar com isso... bem, foi muito difícil de todos os modos", afirmou.

Em 1982, McCartney escreveu a canção Here Today sobre Lennon. "Eu pensei em todas as coisas que nunca disse a ele. Sou muito reservado e não gosto de revelar muito. Por que as pessoas deveriam conhecer meus pensamentos mais íntimos? Mas uma canção é o lugar para apresentá-los. Em Here Today eu digo a John 'eu te amo'". "Você pode colocar estas emoções, estas profundas e, algumas vezes, estranhas verdades, em uma música".

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.