• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Negócios Que tal um show exclusivo do seu artista preferido? Apresentações particulares viraram moda no Recife Cantores como Zizi Possi, Aline Rosa, Fábio Jr., Lulu Santos, Latino, Jota Quest, Babado Novo, Guilherme Arantes, Roberta Sá, Preta Gil e outros já aportaram por aqui para apresentações desconhecidas pelo grande público

Publicado em: 30/10/2013 10:45 Atualizado em:

Show de Cheiro de Amor no casamento de Victor Carvalheira e Eduarda Dubeux. . Foto: Arquivo Pesoal
Show de Cheiro de Amor no casamento de Victor Carvalheira e Eduarda Dubeux. . Foto: Arquivo Pesoal

O menor público da cantora Zizi Possi foi no Recife. E não se trata de fiasco de bilheteria, mas de show exclusivíssimo no aniversário surpresa de 70 anos da empresária Lília Santos, para 50 pessoas. “Usualmente, não atuo em casamentos ou aniversários. Ao longo de 35 anos, houve duas exceções. No caso de dona Lília Santos, são pessoas tão especiais que nos tornamos amigos pessoais”, recorda Zizi.

“Meus filhos me deram uma enrolada danada. Quando cheguei à casa de Zezinho (um deles), estavam todos os amigos. Eis que as luzes se apagam e aparece Zizi. Foi inesquecível”, recorda Lília. Amigo de Rita Lee há anos, o próprio arquiteto Zezinho contou com a roqueira na festa de aniversário dos 40, 45 e no casamento dele.

A pernambucana Mundo Livre S/A desfrutou de público diminuto no Balneário de Piçarras, em Santa Catarina, no aniversário de 27 anos da gerente de marketing Zaira.
“Sou fã desde os 16 anos. Entrei em contato pelo site. A distância torna tudo mais fantástico”. O cachê foi 40% dos custos. Tudo para ter no set list músicas como Musa da ilha grande e Meu esquema. A última, aliás, foi a trilha sonora do início de namoro de um casal que contratou a banda para o casamento, em Salvador.

Há quem destine até 60% do orçamento para a trilha sonora dos sonhos. “Há uns dois anos, 90% das festas eram com orquestra. Atualmente, o número caiu para 20%”, conta o produtor Fábio Trindade, dono da Social band e propaganda do próprio negócio.

Ninha, ex-Timbalada, no casamento de Fabio Trindade e Eduarda Brasil.
Ninha, ex-Timbalada, no casamento de Fabio Trindade e Eduarda Brasil.


Ele ganhou de Ninha, ex-Timbalada, um show como presente de casamento, em setembro. Quem quer fugir do DJ ou das orquestras pode optar por bandas locais, mais baratas, ecléticas e suscetíveis a pedidos. No Recife, No Falo Americano faz entre dois e três apresentações particulares por semana. Faringes da Paixão faz pelo menos uma, mas já chegou a cinco.

Fábio Jr., Lulu Santos, Latino, Jota Quest, Babado Novo, Guilherme Arantes, Roberta Sá, Preta Gil, Cidade Negra, Revelação, Mariana Aydar, entre dezenas de outros, já aportaram por aqui para apresentações desconhecidas pelo grande público, mas inesquecíveis para os convidados. Nando Reis foi contratado para o casamento da produtora Juliana Cavalcanti, em novembro. Ele foi escolhido como homenagem ao pai, e o espaço para a foto com o ídolo já está garantido no álbum.

Os pedidos de músicas devem ser feitos com parcimônia, mas fotos e autógrafos são sempre bem-vindos. Neste mês, Gaby Amarantos publicou no Instagram uma foto com os noivos Marina e Rafael, de São Paulo. E ainda cobrou as fotos da noite. Ninha até comparece à cerimônia. E tem artista que se joga na festa. Alinne Rosa, da Cheiro de Amor, uma das mais requisitadas por aqui, pegou um buquê no Recife há menos de um mês. “Genteeeeee!! O buquê veio diretoo nos meus braços... será q é dessa vez???”, publicou. “A gente gosta muito desse tipo de evento. Em show com ingresso, na semana seguinte o público já esqueceu. Em uma data marcante, como casamento, a pessoa lembra para sempre”, aposta Valter Brito, empresário do grupo baiano. Em 2013, 20% das apresentações foram em festas particulares.

As bandas de axé são as mais cotadas, na expectativa de não deixar ninguém parado. “A nossa turma queria algo grande, diferente das outras festas. A ideia era tornar o momento inesquecível”, conta Maíra Alencar, da comissão de formatura do curso de medicina da FPS, que contratou a Babado Novo para a festa, em dezembro. O grupo de 125 alunos desembolsou cerca de R$ 30 mil. Turmas anteriores trouxeram Cheiro de Amor e Tuca Fernandes. Na formatura do Damas, neste mês, o convidado de honra foi Wesley Safadão, que já fez 32 shows privados em 2013. “São festas muito bacanas. A galera tem motivos mais que especiais pra comemorar. Eles vibram ainda mais e a energia é diferente”, diz o cantor.

“A primeira coisa que deve ser considerada é o formato do evento. O horário da festa e o gosto pessoal são decisivos. Tudo tem de ter a ver com a pessoa, até o cardápio”, defende a produtora Carla Bensoussan, no ramo há mais de dez anos. Ela própria já trouxe Kid Abelha, Preta Gil e Mart’nália. Os produtores Victor Carvalheira - que contratou Cheiro de Amor para o próprio casamento - e Daniel Cursino contam que empresas especializadas podem facilitar a negociação, pois algumas bandas têm contrato de exclusividade com elas.

Na hora de idealizar, o céu é o limite. Mas contratar uma banda de fora para chamar de sua por uma noite (duas horinhas, na verdade) não é lá dos luxos mais acessíveis. Produtores e contratantes não divulgam os preços, mas um artista de renome nacional não sai por menos de R$ 40 mil. Como não há publicidade, devido ao caráter intimista, o valor é mais caro. E há alguns que, por opção própria, não fecham negócio nem pelo triplo do cachê.

Números
R$ 30 mil a R$ 100 mil
cachê de banda nacional

3 a 6 meses
antecedência necessária para contratação

R$ 3 mil a R$ 12 mil
cachê médio de banda local

R$ 5 mil
cachê médio de orquestra

R$ 400 a R$ 1,5 mil
cachê médio de DJ

1h30
duração da apresentação de banda

3h
duração da apresentação de orquestra

2h30 a 4h
duração da apresentação de DJ

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.