ABASTECIMENTO Sanharó começa a receber água do rio São Francisco em fase de testes

Publicado em: 11/03/2019 09:15 Atualizado em: 11/03/2019 09:18

O primeiro ciclo de abastecimento, atendendo todos os bairros da cidade, será concluído em dez dias. Foto: Divulgação/Compesa
O primeiro ciclo de abastecimento, atendendo todos os bairros da cidade, será concluído em dez dias. Foto: Divulgação/Compesa

A cidade de Sanharó, distante 140 quilômetros do Recife, passou a receber, em fase de testes, água da Transposição do Rio São Francisco, desde sábado (9). Agora, já são quatro municípios atendidos por esse sistema que consiste na integração das Adutoras do Agreste/Moxotó: Arcoverde, Pesqueira, Belo Jardim e Sanharó. O município estava enfrentando um rodízio severo, com água apenas uma vez por mês. O local dependia do Sistema Bitury, cuja barragem entrou em colapso há quatro meses.

Segundo o presidente da Compesa, Roberto Tavares, a água do São Francisco está chegando em Sanharó de forma gradativa e a expectativa é que o primeiro ciclo de abastecimento, atendendo todos os bairros da cidade, seja concluído em dez dias.Os primeiros bairros beneficiados são Centro, Salgado, parte do Zacarias Ramalho, parte do Dr. Tonico e Santa Clara. Está sendo aproveitada a  parte já implantada da tubulação da Adutora do Agreste, mesmo sem a construção do Ramal do Agreste, obra do governo federal ainda não finalizada.

Para viabilizar o atendimento desses municípios, a Compesa projetou a Adutora do Moxotó, obra que teve investimento de R$ 85 milhões. Ela capta água do Rio São Francisco na Barragem do Moxotó, no Eixo Leste da Transposição, e se interliga na Estação de Tratamento de Água (ETA) de Arcoverde à Adutora do Agreste. Deste ponto, a água do Rio São Francisco percorre 80 quilômetros pela Adutora do Agreste até chegar à Estação de Tratamento de Água do Bitury, em Belo Jardim, onde é tratada e segue até às torneiras dos moradores de Sanharó. De acordo com a Compesa, a fase de testes deve durar 30 dias. "Nesta etapa, fazemos as correções necessárias, a exemplo de vazamentos. Estamos trabalhando também para abastecer o município de São Bento do Una nos próximos dias", afirma o presidente da Compesa, Roberto Tavares.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.