Caruaru MPPE cobra ações para a rua da 'Má Fama' por perturbação de sossego São frequentes as reclamações de barulho em bares da rua, localizada no bairro Maurício de Nassau

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 11/03/2019 08:15 Atualizado em: 11/03/2019 08:37

Foto: Reprodução/Google Street View.
Foto: Reprodução/Google Street View.

A Rua Silvino Macedo, conhecida como a Rua da Má Fama e uma das mais badaladas de Caruaru, entrou no radar do Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Após denúncias de perturbação de sossego e o registro de dois homicídios em menos de seis meses, sendo o mais recente em fevereiro e outro em outubro do ano passado, três promotoras de Justiça solicitaram que a Secretaria de Finanças e o Corpo de Bombeiros inspecionem os estabelecimentos comerciais da rua.

Com o pedido de inspeção, as promotoras Silvia Amélia de Melo Oliveira, Gilka Maria Miranda e Isabelle Barreto de Almeida pretendem conferir se os estabelecimentos da Rua da Má Fama funcionam conforme a legislação. Isso porque são frequentes as reclamações de barulho, que segue pela madrugada, em bares da rua, localizada no bairro Maurício de Nassau.

Aspromotoras, além do pedido de inspeção, recomendaram ao poder público a implantação de câmeras que acabem com os pontos cegos da rua, que hoje não são visualizados pelo sistema atual. Para facilitar o registro das imagens, o Ministério Público também solicitou ao governo municipal que faça podas regulares nas árvores da Silvino Macedo e controle o comércio ambulante e o uso de equipamentos de som de veículo. Esses, segundo os moradores do lugar, “um inferno”, pois os impede de dormir. As observações das promotoras não pararam por aí.

Após reunião com moradores da rua, de secretarias municipais, da Câmara de Vereadores, da Polícia Militar Conselho Tutelar, as três também deliberaram que haja operações para coibir o tráfico e consumo de drogas, os homicídios, a prostituição infantil e o uso de substâncias nocivas por crianças e adolescentes. As operações, segundo elas, precisam ser conjuntas e ocorrer nas sextas- -feiras e nos sábados, dias de maior movimento.

MORTE
No dia 2 de fevereiro deste ano, o segurança Jean Carlos da Silva, 32 anos, foi assassinado a tiros quando trabalhava em uma boate da Rua Silvino Macedo. Testemunhas informaram que a vítima, horas antes, teria agido para apartar uma briga na boate e colocado algumas pessoas envolvidas para fora.

Uma delas, do sexo masculino, tentou voltar, mas foi impedido. O homem prometeu se vingar e minutos depois, acompanhado de outro homem, reapareceu na rua e matou o segurança com vários disparos.Moradores da Rua Silvino Macedo, conhecida pela vida noturna, reclamam da insegurança


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.