Conscientização Ações de combate à violência contra a mulher foram realizadas no carnaval do Paulista

Publicado em: 07/03/2019 06:54 Atualizado em: 07/03/2019 07:00

Crédito: Jorge Macrino e Francisco Marques
Crédito: Jorge Macrino e Francisco Marques

Durante o bloco “Bacalhau na Vara”, realizado em Paulista, foi feita uma campanha de combate à violência contra a mulher. A iniciativa contou com abordagens sobre o tema e estimulou os foliões a desprezarem as músicas que diminuem a figura feminina na sociedade.

“Este ano, a Lei do assédio passou a vigorar. Isso é muito importante, porque nos ensina que o assédio é crime”, destacou a secretária executiva de Políticas para as Mulheres do Paulista, Bianca Pinho Alves. O crime de assédio sexual vale para os casos em que o agente constrange alguém, usando da sua posição hierárquica superior ou de ascendência em relação à vítima, para o favorecimento sexual. A pena para o infrator pode variar de acordo com as circunstâncias do crime.

Em Paulista, também foi realizado o bloco “Xingou, Bateu, é Penha”, que tem como proposta a luta contra a agressão física e psicológica sofrida pelas mulheres. Uma das militantes, a cantora Clara Neves, participou do trio que percorreu as ruas de Paratibe e Arthur Lundgren I no “Bacalhau na Vara”, e fez questão de enaltecer qualquer tipo de iniciativa que venha para apoiar o público feminino

“Eu particularmente me sinto privilegiada em estar aqui hoje defendendo esse tema, e inclusive a música “Xingou, Bateu, é Penha”. Muitas mulheres sofrem diariamente com a violência e é sempre bom levantar a bandeira do combate. Não, é não minha gente! Vamos respeitar as mulheres”, enfatizou Clara.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.