Urbanismo Audiência discute situação do edifício Holiday, de Boa Viagem

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 28/02/2019 16:53 Atualizado em: 28/02/2019 17:02

Edificação com 3 mil moradores pode ser interditada a qualquer momento. Foto: Mandy Oliver/Esp.DP.
Edificação com 3 mil moradores pode ser interditada a qualquer momento. Foto: Mandy Oliver/Esp.DP.
Uma audiência na 7ª Vara da Fazenda Pública do Fórum Rodolfo Aureliano, na Ilha Joana Bezerra, discute, na tarde desta quinta-feira (28), a situação do Edifício Holiday, localizado em Boa Viagem. Representantes de diversos órgãos públicos, da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e moradores do prédio estão decidindo se haverá interdição no prédio que, segundo recentes laudos técnicos, está em situação de tragédia iminente.

Entre os problemas apontados estão as instalações elétricas precárias, com muitas gambiarras; excesso de lixo e botijões de gás, além de grades inapropriadas que impedem o fluxo de pessoas em uma necessidade de evacuação.

Audiência discute situação do prédio nesta quinta. Foto: Patrícia Monteiro/Esp.DP.
Audiência discute situação do prédio nesta quinta. Foto: Patrícia Monteiro/Esp.DP.
O procurador-geral do Recife, Rafael Figueiredo, afirmou que a procuradoria entrou com uma ação solicitando a interdição do imóvel, mas pediu, antes, a realização da audiência de conciliação. "Se houver engajamento, uma operação de guerra, literalmente, todos em prol do Holiday, acreditamos que seja possível evitar esta evacuação geral e um mal maior para a comunidade. O secretário de Mobilidade e Controle Urbano do Recife, João Braga, irá apresentar uma proposta quanto a isso a ser debatida com todos", pontuou.

LEIA MAIS:

Edifício Holiday na iminência de um desastre

Segundo Figueiredo, há a necessidade de uma medida emergencial, já que os equipamentos elétricos representam o maior risco. "Segundo a Defesa Civil, a estrutura não é o problema mais grave, mas, se houver um incêndio, por exemplo, esta estrutura entra em colapso. Ao adotarmos este plano, a intervenção deve ser imediata, ainda no período de carnaval", destacou. O promotor afirmou ainda que a Celpe chegou a entrar com uma medida judicial para cortar a energia do local. "Isto é um perigo, pois as pessoas vão procurar outros artifícios para obtê-la, o que pode gerar graves consequências", analisou.

O síndico do edifico Holiday, Rufino Neto, falou que espera contar com o auxílio e a compreensão dos órgãos. "Eles não têm obrigação de fazer nada por nós, como espaço privado, mas este prédio vem se deteriorando há décadas. Há três anos como síndico, tudo que faço é como enxugar pingo de água em uma pedra de gelo. Estamos em uma situação precária. A fiação, por exemplo, é da década de 1950, e 80% dela ainda da data de fundação do prédio em 1956. Nossos moradores também são idosos, cadeirantes. Não só a marginalidade que muitos enxergam", ressaltoi.

O chefe de planejamento do Corpo de Bombeiros, Tenente Coronel Erick Aprígio, falou que a corporação vem tendo reuniões temáticas desde setembro do ano passado sobre o assunto. "Fizemos relatos e solicitações de outros órgãos públicos para avaliação. Solicitamos, inclusive, avaliação independente do Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia), para tomarmos nossa decisão e estamos esperando por ela. Não queremos nenhum desastre. Nossa decisão será pela preservação da vida", disse.

O Holiday tem 476 apartamentos e cerca de 3 mil moradores. A reunião de hoje deve se estender até o início da noite.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.