Encontro reúne mestres do maracatu Mestres de 26 agremiações se apresentaram no Pátio de São Pedro

Por: Jailson da Paz

Publicado em: 26/02/2019 20:39 Atualizado em: 26/02/2019 21:10

Mais de 300 batuqueiros participaram do evento. Foto: Tarciso Augusto/Esp. DP Foto
Mais de 300 batuqueiros participaram do evento. Foto: Tarciso Augusto/Esp. DP Foto
Os batuqueiros foram chegando aos poucos no Pátio de São Pedro, no bairro de São José. No começo da noite, quando os participantes do Encontro de Mestres já ocupavam quase todo o lugar, 13 maracatus haviam se apresentado.

Estavam ali, um ao lado do outro, os estandartes de maracatus fundados em três séculos diferentes. O do mais velho dos grupos, o Estrela Brilhante de Igarassu, de 1824. O do mais novo, o Sol Nascente, de 2015. Entre as duas datas, grupos do século passado, como Cambinda Estrela, de 1935, e o Almirante do Forte, de 1931, e o Leão da Campina, de 1997.

Cada agremiação que chegava ao pátio fazia uma breve evolução, sendo convidados os porta-estandartes e mestres para subirem ao palco. Cada mestre, no palco, cantava uma loa e todos os batuqueiros tocavam ao mesmo tempo, numa demonstração de unidade.

"Este é um encontro de reverência a nossas raízes", dizia o locutor, completando que o pátio reunia agremiações de vários lugares do Recife, a exemplo do Ibura, Mangabeira, Chão de Estrela, Bongi, e de municípios da Região Metropolitana.

Na sétima edição, o Encontro de Mestres, promovido pela Associação dos Maracatus Nação de Pernambuco (Amanpe), reuniu 26 grupos de maracatus de baque virado e mais de 300 batuqueiros.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.